A Hermana Havanna !!

E ai galera como estão ? Peço desculpas por não ter postado nada essa semana, pois é, ta difícil achar tempo para pesquisar, escrever, postar, etc.

Apesar da demora, tenho uma novidade para vocês !! Uma nova coluna, onde vamos falar sobre marcas famosas e consagradas no mundo da gastronomia, as Grifes da Gastronomia.

Vamos começar hoje por uma marca que cresceu muito nos últimos anos aqui no Brasil, o que ela fabrica ? Tentem adivinhar, primeira dica, eles são pequenos e redondos. Segunda dica, recheados com doce de leite e cobertos de açúcar ou chocolate. Terceira dica, na Argentina é um produto de primeira necessidade, uma bomba calórica que virou obsessão de nossos “hermanitos” e de milhares de turistas das mais variadas nacionalidades. Já sabem ? Claro que estamos falando do alfajor HAVANNA e hoje vamos conhecer mais sobre essa “Grife dos alfajores”, preparados ? Então vamos começar ;D

A história

Não, ele não é argentino, mas merecia ser. A história do alfajor, o doce mais tradicional da Argentina, tem origem na cozinha árabe. O doce nasceu em Andaluzia, e seu nome vem de “al-hasú”, que em árabe significa “estufado ou recheado”. Originalmente produzido com amêndoas, mel e avelãs, chamou-se também “alaju”, e chegou às ruas espanholas como alfajor através da ocupação árabe na Península Ibérica. Ao atravessar o Atlântico, levado pelo químico francês Augusto Chammás, ganhou seu formato redondo e daí para frente, sofreu várias alterações, até chegar à receita atual.

A marca HAVANNA surgiu no ano de 1947, em Mar Del Plata, um balneário a cerca de 400 km de Buenos Aires, capital da Argentina, quando três amigos, Demetrio Eliades, Luis Sbaraglini e Benjamin Sisterna, que já trabalhavam no mercado de doces local, decidiram montar uma fábrica de alfajores, doce tradicional do país, feito à base de uma massa fina e delicada com recheio de doce de leite e cobertura de chocolate. A receita foi aprimorada pelo mestre pasteleiro Toribio Gonzáles, nascendo assim os famosos alfajores HAVANNA. O nome foi inspirado na capital de Cuba, isto porque um dos sócios foi proprietário de uma casa de show ao estilo cubano. Foi colocado mais uma letra N no nome apenas por uma questão de registro. Começava então a história de amor entre a Argentina e os alfajores da marca HAVANNA.

Como um souvenir de Mar del Plata, os alfajores da marca HAVANNA se expandiram nacionalmente somente na década de 80. Até então, toda vez que alguém viajava à cidade balneária retornava para casa com o porta-malas recheados de alfajores para distribuir entre os amigos. Delícia argentina incontestável as caixas de alfajores HAVANNA se tornaram uma tradição entre os argentinos, que presenteavam amigos e familiares com as delícias açucaradas como forma de simpatia e amor. Com a expansão nacional, os argentinos puderam comprar os tradicionais alfajores HAVANNA em vários pontos de venda espalhados por diversas cidades do país.

Em 1995, a empresa abriu seu primeiro HAVANNA CAFÉ, espaços pequenos e aconchegantes, que mais se pareciam com “uma biblioteca forrada de alfajores”, no qual uma iluminação dramática, bem ao estilo argentino, dirigia os focos de luz para uma estante de madeira escura onde estavam os protagonistas recheados com doce de leite. Localizado em Buenos Aires, este primeiro café foi inspirado nas tradicionais cafeterias européias, extremamente comuns na Argentina, visando uma permanência mais longa do consumidor no estabelecimento. Originalmente, uma empresa familiar, a HAVANNA foi comprada por US$ 85 milhões em 1998 pelo fundo de investimentos Exxel Group, que adquiriu marcas de prestígio como as operações da Kenzo e Ralph Lauren na América Latina. Veja abaixo um comercial do HAVANNA CAFÉ exibido na Argentina.

Com uma gestão empresarial, a HAVANNA além de vender os mais tradicionais alfajores do país passou a ser conhecida como uma rede de cafeterias. Os alfajores também sofreram com a grande crise da Argentina em 2001. Nessa época, o presidente da empresa teve que ir a uma emissora de rádio defender as bolachas recheadas da HAVANNA, pois o público estava certo de que o diâmetro do alfajor havia diminuído. Foi uma polêmica nacional. Ao final, a marca conseguiu convencer os desesperados consumidores que a remodelação do maquinário para fazer alfajores menores daria um enorme prejuízo a empresa. Em novembro de 2003, deficitária, a empresa foi comprada pelo fundo de investimentos Desarollo y Gestión, que sanou suas dívidas. Foi neste período que a HAVANNA criou seu departamento de marketing, expandiu sua linha de produtos (hoje são mais de 150 itens) e começou uma forte expansão de sua rede de lojas, quiosques e cafés (cujo ambiente está sempre à uma temperatura de 24 graus para manter a qualidade dos produtos), inclusive para outros países do mundo, onde uma caixa de alfajores HAVANNA carrega uma herança familiar e a mais pura tradição argentina de fabricar um produto feito artesanalmente com carinho há mais de 60 anos.

Os produtos

ALFAJORES – São essencialmente feitos com uma massa de farinha, açúcar, ovos e essências de limão e de amêndoas, recheada de doce de leite e coberta de chocolate. Parece simples, ainda mais sabendo que o doce de leite não é fabricado pela HAVANNA, mas encomendado com um fornecedor e o chocolate vem do Brasil. A diferença é o poder da marca, que permite aos seus alfajores custarem até 20% a mais que os concorrentes. Eles podem ser encontrados nos sabores nozes, doce de leite, chocolate e frutas, este último disponível somente na Argentina, além da versão em tamanho reduzido, conhecida como mini alfajor, extremamente popular nas companhias aéreas argentinas. Recentemente a marca introduziu o alfajor de cacau (duas bolachas recheadas com um suave creme de cacao e cobertas com o mais puro chocolate meio amargo).

HAVANNETS – Cones de chocolate branco ou meio amargo recheados de doce de leite (espécie de merengues). É o segundo produto mais popular da HAVANNA depois dos tradicionais alfajores.

GALLETITAS – Delicados biscoitos com diversos sabores e recheios como creme de limão com cobertura de chocolate, creme de avelã e creme de café com cobertura de chocolate meio amargo e chocolate branco, e mel e laranja com cobertura de chocolate.

BARRITAS – Doce de leite em barras. Também possui doce de leite em potes.

CORONITAS – Bombons em formato de coroa, recheados com doce de leite e cobertos com chocolate branco e chocolate ao leite.

PANETONES – O tradicional doce recheado com doce de leite, doce de leite com frutas secas ou cristalizadas com chocolate. Este produto foi desenvolvido especialmente para o mercado brasileiro.

CHOCOLATES – Bombons e barras de chocolates elaborados com ingredientes puros e selecionados. As barras estão disponíveis nos sabores ao leite, amargo, branco, avelã e amêndoas.

A fábrica

Mesmo em meio à expansão internacional a principal fábrica da empresa, localizada até hoje em Mar Del Plata, mantém seu esquema meio industrial e meio artesanal de produção. Aproximadamente 22 senhoras, com média de idade de 50 anos, vestidas com uniformes brancos e blusas rendadas, revestem os alfajores com merengue um a um com uma espátula e o processo de embalagem não é totalmente mecanizado. Somente nesta fábrica são aproximadamente 200 funcionários trabalhando para produzir 700 mil alfajores por mês (no verão a produção chega a 1.2 milhões). Hoje em dia, os famosos alfajores, cuja receita é guardada em segredo pela empresa, ainda são feitos cuidadosamente em três fábricas: 2 em Mar Del Plata e 1 em Bariloche (esta produz ingredientes). Toda a produção é mantida nacionalmente para garantir a qualidade e os suspiros ao morder cada pedaço de um legítimo HAVANNA, que podem ser encontrados em seis variedades.

A marca no Brasil

A empresa chegou oficialmente ao Brasil somente em 2006, com a inauguração em 28 de junho de sua primeira loja, um café localizado no sofisticado bairro dos Jardins, em São Paulo, e um quiosque no Shopping Iguatemi. Os alfajores HAVANNA já tinham sido temporariamente vendidos no Brasil através da rede Casa do Pão de Queijo em 1994. Alguns produtos das lojas brasileiras têm diferenças em relação aos encontrados na Argentina. É o caso do café, que é nacional; do brigadeiro de doce de leite; do milkshake de café e doce de leite; e do panetone recheado com o doce de leite (vendidos somente nas lojas do Brasil). O sucesso foi instantâneo e não demorou muito para que outras lojas e quiosques fossem inaugurados pelo país.

A marca no mundo

Hoje em dia, a HAVANNA possui mais de 1.000 lojas e está presente em outros 2.300 pontos de venda em 17 países (Argentina, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Costa Rica, Panamá, Venezuela, Peru, Bolívia, Paraguai, Chile, Inglaterra, Espanha, França, Bélgica, Israel e Austrália). Somente a loja do aeroporto de internacional de Ezeiza, localizada em Buenos Aires, vende mais de sete milhões de alfajores por ano. A empresa vende anualmente mais de 100 milhões de alfajores. Mais de 10% de sua produção se destina ao exterior.

Você sabia?

Hoje existem mais de 150 fabricantes de alfajores somente na Argentina. E a marca HAVANNA é uma das poucas a manter a forma artesanal na produção da iguaria.

Dados corporativos

● Origem: Argentina

● Fundação: 1947

● Fundador: Demetrio Eliades, Luis Sbaraglini e Benjamin Sisterna

● Sede mundial: Mar del Plata, Argentina

● Proprietário da marca: Fundo Desarollo y Gestión

● Capital aberto: Não

● Diretor geral: Alan Aurich

● Lojas e cafés: 1.000

● Presença global: 17 países

● Presença no Brasil: Sim (29 lojas)

● Fábricas: 3

● Funcionários: 2.000

● Segmento: Alimentação

● Principais produtos: Alfajores, doces e chocolates

● Ícones: Os alfajores

É isso ai gente, espero que tenham gostado do Post sobre essa marca argentina muito, mas muito boa no que faz, se tiverem oportunidade de provarem alguns dos seus produtos não percam tempo, vale muito a pena, conhecer o café Havanna também é um belo programa !!

Dúvidas, criticas, elogios, por favor comentem ;D e até a próxima 0/

Fonte: www.havanna.ar , www.mundodasmarcas.blogspot.com , Revista Fortune.

Luis Paulo Carminatti.

Anúncios

20 respostas para “A Hermana Havanna !!

  • Dayana Urio

    Muuito bom o post luis,
    legal saber a história de um alfajor maravilhooooso..
    havanna é o melhor..
    é só o doce de leite com torradinha, sem comentários.

  • anaurio

    Noossa, sou apaixonada por havanna!! é muuuuuuuuito bom.
    eu faço contrabando de alfajor do paraguai haha, e não sabia que eles ainda são fabricados artesanalmente..

  • pri

    Ahhhh embora eu n goste mt de doce seus posts sempre ficam dahora nehhh?
    adoreiiii!
    Mt legal!
    😀

    embora dessa vez nao me de mta vontade de comer. suahsuahushas

    bjssss!

  • Rachel Herbert

    Amooooooooo Havanna (L)

    Sem mais ;D

  • Bruninha

    UAAAAAAAAAAAAAAAAAAAL deu agua na boca só de ver!
    Havanna, um dos melhores doces HUAHUAHUAHUAHUHAU ;D
    adoorei o post Luis 😀
    beeijao

  • Laís Russo

    Hummm eu amo alfajor!!! ainda não tive a oportunidade de experimentar o verdadeiro, mas com certeza um dia eu vou comer 😀

    adorei o post! 😉

  • Vivi

    Adoreei Luis, amo Havanna *_* o doce de leite OMG é muitoo bom, sem falar dos Alfajores que com certeza são os melhores =]

    Beijoo

  • Rodrigo Tomazela

    Isso sim é alfajor!
    Apesar de que eu curto aquele da Mônica.
    Mas quando fui pra Argentina, trouxe uma mochila com umas 5 caixas disso ai, hahahaha.

  • Marina

    Todos os posts que vejo aqui são bons, mas poxa…falar de Havanna é demais, né? hahaha…é uma das melhores coisas que existem no mundo!! O doce de leite é simplesmente SENSACIONAAAL! Eu recomendo! 🙂

    Beijos!!

  • Tassia

    ahhhh quero experimentar tudoooo!!!
    Só passei vontade =\
    Parabens pela pequisa
    curti!
    beijo

  • Jesebel Marchione

    Adoreeei Luis, Havanna é Top !!

    Muito legal o método de fabricação deles ser artesanal, é muito diferenciado dos outros mesmo ;D

    Amei o Post como sempre xD

    Parabénss !!!

    Beijoos =**

  • Maisa

    Huumm, quero experimentar o alfajor sabor Frutas
    amo amo amo alfajor haha
    amei o post ! :*

  • Sara

    Muitoo boom Luis, adorei o Post, gostei da idéia de fazer uma colunas sobre marcas famosas *__*

    Beijoo

  • Lia Zimerman

    Huum Havannaaaaaa s2

    rsrs, eu não moro tão perto de um como a Sophia, mas eu vou na casa dela para irmos rsrsrs

    Adorei Luis, muito bom o post, e tooodas as coisas deles são boas, o chocolate é mara *__* e o doce de leite então ? OMG rsrs

    Beijão xD

  • Sophia

    Aii Luis, como eu amo Havanna (L)

    O Havanna café fica pertinho de casa, sempre vou lá, é muitoooo booom !!!

    Adorei o Post, sempre achei que o alfajor tivesse sido criado na Argentina, vivendo e aprendendo né rsrs

    Minha mãe leu o Post e amou tbm =D

    Parabéns, beijão =*

  • Vinicius

    Eae!
    Man.. chocolate auheuiahe.. dps de beber mto! issu sempre salva hahahah
    Mas nem precisa usar so para salvar do alcool!
    Chocolate é bom d+!
    auiheiuhae

    é issu ae! xD

  • Suellen

    Meninoooooooooo que que isso, blog cada dia mais apetitosooo… coloca uma barrinha pra curtir no facebook pq merecem divulgação… ^^ muito bom…

  • Livia Baker

    Peeeeeerfeitooo Luis !!

    Havanna é top, tudo de bom mesmoo, adoro o de café *__*

    Adorei saber da história de uma coisa que tanto gosto, ótima a ideia dessa coluna falando das marcas, afinal marca é marca né e a gente acaba sempre procurando rsrsrs

    Beijão, ta de parabéns pra variar ;D

  • Vanessa

    Ai q deliciaa queria provar….

  • Julhia

    Nunca vou trocar a kopenhagen!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: