Arquivo da categoria: Bebida também é Gastronomia !

Arak não é de araque !!!

E ai galera como estão? Espero que com o fígado preparado haha, pois hoje vamos falar de uma bebida que não é de “araque” não mas é Arak haha, depois do trocadilho infame vamos seguir com o Post, o Arak é um destilado árabe de uvas com infusão em anis. A bebida possui teor alcoólico de 45,9%, mas a maravilha mesmo está na sua alquimia.

Antes de dizer pra vocês como foi beber o Arak, sim eu bebi haha, vamos dar uma olhada na história da bebida, afinal, temos que conhecer o que bebemos!!

O que é o Arak?

Arak ou Araq é uma bebida alcoólica destilada (~45,9%-63% vol. Alc.). É uma bebida clara, incolor, não adoçada, com sabor de anis, também classificada como aperitivo. É a bebida tradicional da Palestina, Israel, Líbano, Jordânia, Iraque e da Síria, e é muito semelhante ao Ouzo grego, à Zivania cipriota e ao Raki turco.

Deve ser bebido diluído em água ou servido puro com gelo (on the rocks), quando adquire aspecto leitoso, é conhecido como “leite de camelo”.

O termo Arak vem do árabe ﻋﺮﻕ (′araq), que significa “suor”, e sua pronúncia varia de acordo com as diversas variantes do árabe. O Arak não deve ser confundido com outra bebida alcoólica de nome semelhante, Arrack (conhecido em Bali também como Arak). Outro termo semelhante é aragh (em armênio, արաղ), que na Armênia, Irã, Azerbaijão e Geórgia é usado para se referir à Vodka.

Como é feito?

O processo começa com os “vinhedos”, e uvas de qualidade são a chave para fazer um bom Arak. As uvas devem ser bem maduras. Em vez de serem irrigadas, as parreiras são deixadas ao cuidado do clima mediterrânico, fazer uso da água natural da chuva é considerado um dom do produtor. As uvas, que são colhidas no final de setembro e outubro, são trituradas e o suco (em árabe El romeli) é colocado em barris e fermentado por três semanas. Ocasionalmente toda a mistura é agitada a liberar o CO2.

Destiladores utilizados para a fabricação do nosso novo amigo de todas horas o Arak

O produto terminado passa por uma segunda destilação. O álcool recolhido na primeira destilação é destilado de novo, mas desta vez é feita a infusão com o Anis. A proporção de álcool para Anis pode variar e é um dos fatores mais importantes na qualidade do produto final. Outra destilação ocorre após isso, geralmente na temperatura mais baixa possível.

Para um Arak qualidade, a bebida quando pronta é envelhecida em ânforas de barro para “amaciar” o Arak e torna-lo  mais adequado para o consumo. O processo de envelhecimento dura cerca de 12 meses em El Massaya, no Líbano que possui o Arak com mais capacidade de envelhecimento.

Inúmeras variedades de Arak são populares em todos os países da bacia do Mediterrâneo, na Palestina, Jordânia, Líbano e Israel e Síria é destilado de suco de uva fermentado, às vezes, o açúcar é adicionado e é considerado pelos habitantes muito superior a semelhantes licores doces ou fortificados de outros países. Outras bebidas similares são o Zibib do Egito, uma bebida camponesa feita da mesma forma, o Ouzo na Grécia, Mastika na República da Macedônia e da Bulgária e Rakı na Turquia; eles são feitos de uma variedade de produtos como grãos, melaço, ameixas, figos e batatas. Um variante iraniano chamado Aragh-e Sagi (persa: عرق سگی, que significa literalmente suor de cão) é produzido sem Anis, e tem um teor de álcool ainda mais alto do que outras variedades que pode chegar a 78%, alguém arrisca uma dose?

Grandes marcas de Arak

Síria

Batta (ﺍﻟﺒﻄﹽﺔ)

Dinan (ﺩﻧﺎﻥ)

Al-Hayat (ﺍﻟﺤﻴﺎﺓ)

Al Mimas (ﺍﻟﻤﻴﻤﺎﺱ)

Rayan (ﺍﻟﺮﻳﹽﺎﻥ)

Al Jaraa (الجرة)

Jododona (جدودنا)

Brdone (بردوني)

Al Reef (الريف)

Jordânia

Haddad (حداد)

Zumout (زعمط)

Israel

Elite Ha’arak (עלית הערק)

Arak Askalon (ארק אשקלון)

Aluf Ha’arak (אלוף הערק)

Líbano

As Samir (السمير)

Arak el Rif (ﻋﺮﻕ ﺍﻟﺮﻳﻒ)

Batroun Mountains (جبال البترون)

Brun (ﺑﺮﺍﻥ)

Al-Laytany (ﺍﻟﻠﻴﻄﺎﻧﻲ)

El Massaya (ﻣﺴﺎﻳﺎ)

Fakra (ﻓﻘﺮﺍ)

Ghantous and Abi Raad (ﻏﻨﻄﻮﺱ ﻭ ﺃﺑﻲ ﺭﻋﺪ)

Kefraya (كفرَيا)

Ksarak (ﻛﺴﺎﺭﺍﻙ)

Layali Loubnan (ﻟﻴﺎﻟﻲ ﻟﺒﻨﺎﻥ)

Nakd (ﻧﻜﺪ)

Riachi (ﺭﻳﺎﺷﻲ)

Tazka (ﺗﺰﻛﺎ)

Touma (ﺗﻮﻣﺎ)

Wardy (ورده)

Palestina

Ramallah Golden Arak (عرق رام الله الذهبي)

Sabat Arak (عرق صابات)

Como beber?

Arak é geralmente misturado em água, aproximadamente 1/3 Arak e 2/3 de água, em seguida, a mistura é transferida para um pequeno copo cheio de gelo. Agora entendam o porque da alquimia que eu disse lá no começo, a diluição faz com que a bebida se torne um liquido meio leitoso e brilhante, porque o Anetol, o óleo essencial de anis, é solúvel em álcool, mas não em água. Por conta dessas características, a bebida também pode ser chamada de leite de leões ou leite de camelo. O Arak é comumente servido com Mezza, que pode incluir dezenas de pequenos pratos tradicionais. A maioria dos consumidores prefere consumir Arak desta forma, em vez de sozinhos. É também bem harmonizado com churrasco e molho de alho.

ATENÇÃO!

Se o gelo é adicionado após a bebida no copo resulta na formação de uma película, como se fosse uma nata que se torna desagradável na superfície da bebida, porque o gelo faz com que os óleos do Arak se solidifiquem.

Não é preciso muitas doses pra se sentir pisando em nuvens. Mas cuidado! Há quem o prefira puro, porém não é muito aconselhável por alguns fabricantes, que estampam na garrafa a informação:

“NÃO INGERIR PURO”

Ou seja, o negócio é neurótico. Recomendo a vocês a experimentarem, confesso que fiquei com meio receio de tomar mas, é incrível! Alguém por aqui já provou?

E ai, gostaram do Post? Se sim comentem, compartilhem, divirtam-se, se não gostarem podem fazer isso também, afinal não custa nada haha, obrigado a todos que nos acompanham e um abraço 0/

Texto: Luis Paulo Carminatti

Anúncios

1,2,3,4 Martinis !!!

Fala galera como estão? Espero que bem =)

O Gastronomia esteve meio que fechado para balanço esse mês haha, mas estamos de volta 0/

Dizem que o ano no Brasil começa de verdade depois do carvanal, pois é pra gente ta começando uma semana antes haha.

Bom, o Post de hoje pode até ser uma atração para o carnaval, porque ao invés de tomar whisky com energético ou qualquer outra coisa não inovar ?

Que tal uma sequência de belos drinks? Até soa mais bonito em? haha

Bom escolhi o Dry Martini para iniciar essa sequência, até já tivemos um Post falando exclusivamente sobre ele aqui, para quem não leu e quiser dar uma olhada para conhecer sua história e tudo mais, segue o link abaixo !!

https://gastronomiacontemporanea.wordpress.com/2011/04/20/quarta-feira-excepcionalmente-e-dia-de-dry-martini/

Os drinks após o Dry Martini são variações da bebida de diversas parte do mundo, vamos começar ??

Foto por: Rodrigo Tomazela

Dry martini

Ingredientes:

5-6 cubos de gelo

3 doses de Gim (London é luxo tá ? mas se quiserem usar também me chamem)

½ dose de Vermute Dry (Martini no mínimo, os outros são de dar tristeza)

1 Azeitona para decorar

Preparo:

Coloque uma taça Martini no congelador;

Coloque os cubos de gelo em um Mixing Glass ou em um copo grande e despeje o Vermute e o Gim por cima do gelo;

Mexa (nunca, absolutamente nunca bata !) vigorosamente de modo uniforme;

Adicione a mistura na taça, coloque a azeitona e sirva.

Cranberry Martini

Ingredientes:

45 ml de vodka (capricha na marca tá? não é porque é pra drink que pode ser álcool de posto)

15 ml de licor de laranja

15 ml de vermute seco (vale o mesmo para o dry ali em cima)

90 ml de suco de cranberry

5 ou 6 pedras de gelo

Kiwis para decorar

Preparo:

Numa coqueteleira coloque a vodka, o licor de laranja, o vermute, o suco de cranberry e o gelo;

Agite bem a coqueteleira, até que a parte externa comece a congelar;

Coe para uma taça Martini e enfeite com kiwi para dar contraste com o líquido;

Ivy Martini

Ingredientes:

50 ml de tequila prata ( sem josé cuervo ok? vamos de Don julio ou Patrón)

40 ml de suco de maçã verde

05 ml de suco de limão siciliano

05 ml de redução de flor de Hibiscus

Açúcar a gosto

Morango para decorar

Preparo:

Colocar os três primeiros ingredientes na coqueteleira com gelo e bater vigorosamente;

Coar e servir em taça Martini gelada;

Acrescentar a redução de flor de Hibiscus ao fundo da taça e decorar com o morango também para contraste com o líquido;

Blue Martini

Ingredientes:

2 doses de vodka (lembra do que eu disse na anterior né?)

1/2 dose de vermute doce (lembaram desse também né?)

1/2 dose de blue curaçau

1/2 dose de suco de amora

1 amora para decorar

Preparo:

Misture o Vermute e a Vodka sem bater, apenas mexa com gelo;

Adicione o curaçau e o suco de amora e mexa mais um pouco;

Sirva em uma taça Martini gelada e decore com a amora;

Foto por: Rodrigo Tomazela

E ai pessoal, curtiram as receitas ? Fáceis em? E valem a pena com certezaa !! Ah, e com certeza, é muito mais fácil fazer os drinks do que essa foto haha

Dá pra tirar uma onda no carnaval em? haha

Por hoje é só, mas logo logo estaremos de volta, comentários? SIM eu quero haha

Um abraço a todos e bom carnaval 0/

Fotos: Rodrigo Tomazela.

Texto: Luis Paulo Carminatti.
 


A Volta da Fada Verde !!!

Fala galera, como foram de fim de semana, bem ? Espero que sim, porque o meu foi digamos que terrível, devido a um certo juiz de futebol que conseguiu mostrar que ser apenas juiz não é o bastante pra sobreviver, é preciso roubar também (y) mas não vou entrar no assunto futebol hahah se não vão falar que estou chorando aqui ¬¬

Li uma matéria muito legal nesse domingo, falando sobre a volta da venda do verdadeiro Absinto na França. Creio que todos conhecem o Absinto não é ? Aquela bebida verde, com alto teor alcoólico, que as realmente boas chegam a brilhar no escuro, pois é, essa mesma, bebida que fez a cabeça (e a ruína) de gerações de artistas até o início do século XX, quando a produção e a venda foram proibidas, o absinto está de volta à França.

Após 96 anos de banimento, o senado francês aprovou, na semana passada, a suspensão da proibição da comercialização da bebida no país.

Se estivessem vivos, Rimbaud, Toulouse-Lautrec, Oscar Wilde e Vincent van Gogh – fãs incondicionais da bebida – levantariam um brinde para comemorar.

O absinto já vinha sendo produzido na França desde 2000, pela empresa inglesa La Fée, mas destinada apenas à exportação. Em 2003, uma brecha na lei do país permitiu que a bebida fosse vendida desde que no rótulo estivesse escrito “feita a partir de plantas do absinto”. A partir de maio, quando a suspensão à proibição for posta em prática, tal expediente não será mais necessário.

o Absinto nem sempre é verde, pode ser vermelho, azul ou preto.

O absinto é um destilado da erva Artemisia Absinthium, outras ervas como anis e funcho, às vezes são usadas na produção. Conhecida como a fada verde, por conta de supostos efeitos alucinógenos, a bebida pode chegar a ter até 85% de teor alcoólico. Considerada a bebida das massas, o absinto caiu em desgraça após ter sido relacionado a casos de alcoolismo, suicídio, loucura e ao aumento da criminalidade. Estima-se que, na Suíça, cerca de 40% da população adulta era viciada em absinto, no começo do século XX, primeiro mundo em ?

Também foi sob o efeito do absinto que Vincent Van Gogh agrediu Gauguin e cortou a própria orelha (já pensou se ele fosse pego na blitz do bafômetro ? haha) Especula-se que foi após uma noite de consumo desenfreado da bebida que o poeta Paul Verlaine atirou em Arthur Rimbaud. Em 1915, após ter sido proibida em diversos países, o absinto foi banido também na França, que produzia cerca de 220 milhões de litros da bebida por ano, na época. No Brasil, o absinto foi legalizado em 1999, mas com o teor alcoólico limitado a 54%.

Hoje em dia as bebidas não podem ter mais de 40% de teor alcoólico por aqui, então nossas bebidas são bem mais inferiores do que as européias, pior que isso, muitas vezes são “batizadas”, triste, nosso país ainda não aprendeu que não é descaracterizando as bebidas que vai fazer as pessoas não beberem, quem quer beber, bebe em qualquer lugar, não importa o que nem onde.

É isso ai galera, o Post de hoje de foi curto, mas pretendo fazer um bem completo dessa bebida curiosa ( e muito boa por sinal ) que é o Absinto, até a próxima, um abraço !!

E não esqueçam de comentar, o que acharam da França liberar o consumo dessa bebida “mortal” para eles haha ? E quero saber o que acham do nosso governo babaca impedir que tomemos as bebidas originais como devem ser, e se puderem mostrar pros teus amigos que curtem esses assuntos como vocês, ficaríamos agradecidos ;D

Fonte: Winereport

Luis Paulo Carminatti.


Heineken vai brilhar, literalmente !!

E ai galera, como estão ? Ainda não é o Post da Expovinis que vocês estão esperando, porque afinal estamos indo hoje conferir a feira, mas o Post virá, eu prometo haha

Mas o que tenho pra mostrar pra vocês é em legal, a Heineken lança no mercado nacional a exclusiva Star Bottle que tem como diferencial seu design totalmente inovador que se faz visível quando exposto à luz negra.

A garrafa foi desenvolvida para os consumidores mais exigentes e sofisticados e é importada da Holanda. Feita de alumínio, a garrafa tem visual único que é imediatamente percebido como um produto superpremium.

A palavra “Star” presente no nome do produto se refere à grande estrela de cinco pontas localizada no centro da garrafa, que é o símbolo mundial da marca. Quando a Heineken Star Bottle é exposta à luz negra, a tinta escondida aparece na superfície da garrafa, surpreendendo o consumidor com desenhos de estrelas cadentes.

Com esta nova embalagem, a Heineken reforça o conceito da marca e mostra a sua preocupação em sempre inovar e em criar a melhor experiência ao se beber uma cerveja premium.  A “Star Bottle” é idealizada para os jovens adultos sofisticados que apreciam as melhores experiências.

O novo produto estará disponível apenas em casas noturnas selecionadas nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG) e Brasília (DF) para, desta forma, reforçar a exclusividade da garrafa e a sensação de estar no lugar certo, na hora certa.

Já que é assim, fiz uma pesquisa e encontrei alguns locais onde é possível encontrar a garrafa na cidade de São Paulo, o pessoal do RJ, PR, MG, e DF me desculpem pois é complicado pra mim fazer pesquisas por ai haha, bom vamos saber qual é o lugar em que devemos estar na hora certa para poder encontrar uma dessas:

Disco
Rua Atílio Inocennti, 160 – São Paulo
Tel: 11-3078-0404
Site: www.clubdisco.com.br

Woods
Rua Quatá, 1016, Vila Olimpia – São Paulo
Tel: 11-3849-6868
Site: www.portalwoods.com.br

D’Edge
Alameda Olga, 160, Barra Funda – São Paulo
Tel: 11- 3666-9022
Site: www.d-edge.com.br

Sonique
Rua Bela Cintra, 461, Consolação – São Paulo
Tel: 11-2628-8707
Site: www.soniquebar.com.br

É isso ai galera, esses são os locais que vocês podem encontrar essas garrafas super legais da Heineken que com certeza valem a pena se ter em uma coleção !!

Espero que tenham gostado do Post, dúvidas, criticas, sugestões, elogios, comentem por favor ;D e aguardem nossos Posts sobre a Expovinis, muito obrigado pelos comentários e visitas pessoal, até a próxima 0/

Luis Paulo Carminatti.


Troca justa ?

E ai pessoal, passaram bem a semana ? A minha estava super corrida, é até difícil parar para escrever algo aqui, mas consegui um tempo (tempo que era para mim estar lendo um texto para a Pós amanhã haha) e to aqui escrevendo novamente para vocês . Eu li uma coisa esses dias que custei a acreditar, até dei risada sozinho lendo haha, foi uma matéria do site Winereport (site sobre noticias do mundo do vinho, recomendo).

Segue a matéria:

Um plano mirabolante para controlar o déficit público na Argentina rendeu uma situação no mínimo inusitada. Para continuar a importar carros para o país, a Porsche argentina vai exportar vinhos.

O problema começou há algumas semanas, quando o governo de Cristina Kirchner anunciou que cada dólar gasto na importação de veículos teria que ser reposto com a exportação de algum produto.

O plano pegou o setor automobilístico de surpresa. No caso da Porsche, já que dentro do grupo empresarial que importa os carros está a vinícola dos irmãos Pulenta, a compensação será feita através da venda de vinhos de alta qualidade e azeitona em conserva, explicou o CEO da Porsche argentina, Gustavo Gioia.

O ministério da agricultura aprovou a ideia e o acordo será assinado na semana que vem.

E ai, o que acharam ? já pensaram se a moda pega aqui, e a Ferrari começa a importar nossa cachaça pra trazer carros mais baratos ? haha, ou a Aston Martin nossas cervejas artesanais, recentemente premiadíssimas ?

Não deixa de ser uma alternativa, pode até divulgar o nome dos vinhos argentinos na Europa, se vai dar certo ou não, ninguém sabe, espero que tenham gostado da matéria no mínimo diferente do que a gente vê por ai no dia a dia haha, deixem comentários sobre o assunto, suas opiniões, criticas ou simplesmente mandem um oi =)

Até a próxima pessoal !!

Luis Paulo Carminatti.

Fonte: www.winereport.com.br


Pizzato Chardonnay 2010!

Olá Galera tudo bem com vocês?Vou falar agora sobre um lançamento da Pizzato Vinhas e Vinhos, que é o Chardonnay 2010, chegando no mercado agora para podermos degustar!

A PIZZATO Vinhas e Vinhos, localizada no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS), apresenta a nova safra 2010 do Chardonnay.

Essa safra foi elaborada com uvas de apenas um vinhedo, diferente de outras safras. “Este foi o vinhedo que apresentou melhor ponto de maturação e sanidade da fruta”, segundo a diretora Jane Pizzato. As uvas foram colhidas no mês de fevereiro de 2010 e produzidas 4 mil garrafas de 750 ml numeradas em lote único, com o novo selo D.O.V.V. – Denominação de Origem Vale dos Vinhedos.

O Chardonnay 2010 da PIZZATO apresenta aromas de maçã verde, pêra, damasco, abacaxi e frutas cítricas, com leve toque de flores brancas e traços minerais. Combina muito bem com pratos de leve condimento, saladas, peixes e frutos do mar. Equilibrado, com bom frescor, elegante e muito persistente, não tem passagem por barricas de carvalho. Possui 12,5% de graduação alcoólica. É aconselhável servir a uma temperatura de 5 °C a 7 °C.

Preço médio: R$ 37,00

Depois dessa apresentação vamos falar um pouco sobre esse vinho. Confesso que estou muito curioso para degustar, pois me interessou muito principalmente pelo fato de ser elaborado por uvas de apenas um vinhedo e também por não passar por carvalho, apesar de alguns vinhos elaborados com essa uva passarem. Por suas características, parece ser um vinho muito refrescante e simples de se tomar, harmonizando muito bem com entradas leves.

Espero que todos vocês tenham gostado da matéria como eu gostei e tenham ficado curiosos também para degustar esse vinho….rsrsrs! Abraços a todos!

PIZZATO Vinhas e Vinhos
www.pizzato.net

São Paulo – SP
Escritório Comercial
Rua Demóstenes, 1151
CEP: 04614-015
Fone/Fax: (11) 5536 5265

Fonte: http://winexperts.terra.com.br/NoticiasDetalhes.aspx?cod_artigo=617

José Henrique Vieira Reigado.


Maremoto e Cerveja !

E ai pessoal, tudo bem com vocês ? Gostaria de dar os parabéns para meu amigo José Reigado pelo seu primeiro post que foi um sucesso 0/ Queria agradecer as muitas visitas que estamos tendo, muito obrigado a todos os leitores e nossos amigos que nos ajudam a divulgar o Gastronomia Contemporânea, muito obrigado a todos .  =)

Acho que todos vocês ficaram sabendo do terremoto no Japão não é ? Foi noticia no mundo todo, uma verdadeira tragédia. A agência internacional de notícias Reuters publicou em seu site uma foto de uma das cervejarias do grupo Sapporo na cidade de Sendai, província de Miyagi. Na imagem, pode-se ver funcionários refugiados no teto da fábrica, e diversos tanques de fermentação e maturação derrubados pela força das águas.

Já que tocamos no assunto, vamos falar um pouco sobre a Sapporo, a primeira cervejaria japonesa, vamos saber um pouco sobre a sua fundação, seu primeiro mestre cervejeiro e claro, sobre as suas cervejas, vamos lá !!

História

Sapporo, a mais antiga marca de cerveja no Japão, foi fabricada pela primeira vezem Sapporo, no ano de 1876 por Seibei Nakagawa, primeiro japonês a se especializar em cervejas na Alemanha como “Braumeister” (mestre cervejeiro), utilizando ingredientes produzidos na própria região e técnicas genuinamente alemãs nasce uma cerveja que tornou-se rapidamente um sucesso e consumida em todo o país, o logo da Sapporo, a Estrela de Sapporo que inicialmente era o símbolo dos trabalhadores da cidade foi escolhido para representar o símbolo trabalhador por trás da marca.

A Sapporo Premium foi trazida para os EUA em 1964, em 1984 a Sapporo EUA foi fundada para manter a alta qualidade e a distribuição da marca em todo o país, posteriormente se tornou a cerveja asiática mais vendida nos EUA.

Seibei Nakagawa

Braumeister nascido no Japão, ele migrou para a Europa ilegalmente por si mesmo com 17 anos, estudou a arte da cerveja em uma grande cervejaria da Alemanha e fez uma grande contribuição para a história da cerveja em seu país.

Recentemente a Sapporo ficou famosa no mundo todo devido ao lançamento de uma edição limitada de cervejas de chocolate batizada de Chocolat Brewery, fabricada com malte torrado e cacau, com sabor de chocolate amargo.

Agora vamos falar um pouco das cervejas da linha de produção da Sapporo, a Sapporo Premium, a Sapporo Reserve.

Tentei encontrar as cervejas hoje mais não consegui, achei apenas a Sapporo Premium, então vou falar mais profundamente dela, já que posso opinar, as outras ainda não conheço, mais quando tiver a oportunidade de provar, a gente fala sobre elas ;D

Sapporo Premium

Sinceramente superou as minhas expectativas, que eram ruins. Convenhamos que o Japão não é um país conhecido por suas cervejas não é ? Então já traz uma desconfiança haha, sua coloração dourada clara, com um creme pouco denso mas até que persistente. Aroma e sabor suaves, porém presentes, de malte e lúpulo. Possui um leve aroma cítrico, cerveja fácil de beber, leve e refrescante, ótima para dias de calor.

Sapporo Light

Possui um leve sabor doce, suave e elegante, apesar de possuir baixas calorias a cerveja não decepciona devido ao sabor herdado da Sapporo Premium.

Sapporo Reserve

Elaborada apenas com a melhor cevada, uma cerveja de primeira classe bem mais encorpada que a Premium e uma complexidade mais intensa.

Espero que tenham gostado pessoal, apesar da tragédia pudemos conhecer um pouco mais de uma cervejaria que cresce cada vez mais no cenário mundial e é a mais consumida na Ásia a anos, ainda não se poder encontrar com facilidade aqui no Brasil, mas seu consumo entre os brasileiros tem crescido, então cerveja também é coisa de japonês SIM ! haha, um abraço á todos e até a próxima 0/.

Sapporo Premium pode ser encontrada em garrafa de 355ml ou lata de 600ml, o preço varia entre R$ 9,00 e R$ 20,00.

Site: www.sapporousa.com

Fonte: Reuters

Luis Paulo Carminatti.