Arquivo da categoria: Gastronomia também tem Grife !

There’s more to life with Twinings !!!

Fala galera, como estão? Espero que bem !! Hoje vamos falar sobre chá, isso mesmo, chá.
O chá vive um momento todo especial no mundo gourmet, cada dia mais pessoas começam a provar, degustar e consequentemente apreciar a bebida. Inclusive no Brasil, onde já é possível encontrar chás de boa qualidade. Os apreciadores de chás do mundo inteiro são unânimes em afirmar que eles são os melhores que existem. Insuperável na arte secular de combinar sofisticados ingredientes, oferece as mais diferentes variedades de chás, com sabores deliciosos e aromas inconfundíveis. Para alguns apreciadores ao redor do mundo, TWININGS é sinônimo de chá. Faça como a rainha da Inglaterra: exija TWININGS na sua casa. Mas antes, vamos conhecer um pouco sobre a tão recomendada marca inglesa.

A história

A história da marca inglesa TWININGS se confunde com a expansão do hábito de tomar chá no Ocidente. Oriundo de uma família de tecelões, Thomas Twining tornou-se comerciante em virtude de uma crise econômica. Em 1706, comprou uma pequena cafeteria em Londres que viria a se tornar, provavelmente, a primeira empresa a comercializar chás no mundo, imortalizada no sobrenome de seu fundador. A localização do estabelecimento foi muito bem escolhida, entre Westminster e a cidade de Londres, onde vivia a aristocracia inglesa depois do grande incêndio ocorrido na cidade (Great Fire of London).

Sob a porta de seu café, Thomas colocou a imagem de um leão dourado, que permanece como símbolo da empresa. Como nesta época havia muitos estabelecimentos deste mesmo tipo, o fundador resolveu utilizar seu vasto conhecimento adquirido com o comércio de chás. O diferencial da Thomas Twining Coffee House era o chá, importado da china, que fazia parte do cardápio. A bebida “pecaminosa”, como era considerada pela Igreja Católica na época, conquistou o paladar inglês. O negócio dava tão certo, que as mulheres, proibidas de frequentar cafés, esperavam na porta do estabelecimento enquanto um criado buscava a novidade. Como o chá ganhava popularidade entre a aristocracia inglesa, rapidamente o estabelecimento conquistou a reputação de vender os mais finos chás da cidade.

Em 1717, Thomas resolveu inaugurar uma segunda loja, especializada somente em chás para as mulheres, localizada três casas adiante da cafeteria. Foi a alegria das inglesas, que saíam para comprar seus chás ou tomá-los no salão enquanto falavam da vida alheia. Em 1734 a TWININGS abandonou o café e passou a comercializar somente chás. Com a morte de Thomas em 1741, seu filho Daniel, assumiu os negócios. Sob nova gerência, a TWININGS começou a exportar seus famosos chás para os Estados Unidos em 1749, tendo como um de seus principais clientes o perfeito de Boston. Em 1787, seu neto e herdeiro, Richard, deu ares mais grandiosos à fachada da loja. O leão dourado recebeu a companhia de dois chineses, para remeter às origens dos produtos comercializados na loja. Criou também um símbolo distintivo: o nome TWININGS (sem apóstrofe), com uma tipologia que até hoje enfeita as embalagens da marca. Há mais de dois séculos em vigor, é o logotipo ainda em uso mais antigo do mundo.

O novo herdeiro também convenceu o governo britânico a baixar os tributos do produto, nesta época os impostos do chá eram altíssimos. Com isso, ele conseguiu que a bebida ficasse acessível para toda população. Foi então que as vendas da TWININGS dispararam. Earl Grey é o sabor da TWININGS mais vendido no mundo e por isso considerado sinônimo da marca. A lenda diz que Earl Grey ou melhor, Conde Grey, Primeiro Ministro da Inglaterra entre 1830 e 1834, foi presenteado com essa sofisticada receita por um mensageiro em uma viagem à China. Sendo Thomas Twining, seu fornecedor oficial, passou a fabricar a receita original, que é um sucesso até os dias de hoje. Sempre zelando pela pureza e qualidade, desde 1837 a TWININGS tem o privilégio de ser fornecedora exclusiva de chá da realeza britânica, tanto que utiliza o título “By Appointment to Her Majesty Queen Elizabeth II”, impresso nas embalagens dos produtos.

No começo do século, em 1910, a empresa inaugurou sua primeira loja na cidade de Paris. Em 1933, a marca lançou no mercado o English Breakfast, um blend de chás que se tornaria extremamente popular no mundo inteiro. Foi somente, em 1956, que a TWININGS começou a produzir seus famosos chás em saquinhos. Em 1964, a TWININGS of LONDON foi comprada pela ABF (Associated British Foods), um das maiores empresas alimentícias da Europa. Nas décadas seguintes a TWININGS difundiu seus produtos por muitos países, introduzindo também muitas novidades como os chás descafeinados na década de 80; uma linha de chás gelados prontos para beber em garrafinhas (Iced Tea), introduzido em 1981; os chás orgânicos em 1996; os chás populares sob a marca Evereday Tea (2005); bebidas a base de chocolate (2005) e uma pequena linha composta por quatro tipos de cafés de alta qualidade (2007). Hoje em dia a tradicional marca é comandada por Stephen Twining, a décima geração de um clã tão dedicado ao chá quanto a monarquia ao protocolo.

Os chás

A TWININGS oferece uma ampla variedade de sabores: desde os famosos chás pretos até exclusivos sabores de chás verdes e infusões de flores e frutas. Entre as enormes variedades destacam-se três deliciosos sabores de chás verdes: Jasmine (chá de cor clara, e baixo teor de cafeína), Green tea & Mint (chá verde com menta) e Green tea & Lemon (chá verde com limão). O Earl Grey é o sabor da TWININGS mais vendido no mundo e por isso considerado sinônimo da marca. Um clássico entre os chás sofisticados, este chá preto é aromatizado com óleo de bergamota do Mediterrâneo, o que resulta em um sabor delicadamente refrescante. Outros chás que se destacam no enorme portifólio da marca são: English Breakfast (originário do Ceilão e Índia, possui um sabor encorpado e forte, ideal como bebida para despertar); Ceylon Breakfast (chá delicado e claro que resulta numa bebida dourada de fragrância leve); Lady Grey (chá preto aromatizado com cascas de laranja e limão, proporciona uma refrescante sensação); Black Kurrant (chá preto aromatizado com cassis (groselha preta), ideal para o início da noite); Orange & Cinnamon (chá preto com laranja e canela); Four Red Fruits (chá preto aromatizado de cereja, morango, framboesa e groselha vermelha); Lemon Scented (refinado chá preto originário do Ceilão que possui limão em sua composição); Ceylon Orange Pekoe (saborosa bebida de cor dourada, produzida a partir da folha de Pekoe); Darjeeling (chá de sabor delicado, proveniente da região do Himalaia, conhecido pela produção dos chás mais caros do mundo).

As infusões de ervas e frutas da TWININGS são naturais e sem cafeína. Muito saborosas, apreciadas para relaxar ou reanimar, podendo ser consumidas quentes ou frias, as principais são: Camomile (chá à base de flores de camomila que possui propriedades calmantes e digestivas); Peach & Passion (o sabor do maracujá misturado com o aromático pêssego); Strawberry & Mango (deliciosa mistura de morango com manga, excelente bebida para matar a sede no verão); Pure Peppermint (refrescante infusão feita a partir de puras folhas de hortelã, conhecida por auxiliar na digestão); Lemopn Twist (uma única e energética mistura de casca de limão, laranja, flores de hibiscos, aquênios de roseira, erva cidreira e raiz de chicória tostada); Rosehips & Hibiscus (revitalizante chá de Rosehip, uma fruta com alto conteúdo de vitamina C, que aumenta a resistência contra resfriados e gripes).

A tradicional loja

City é o nome dado à parte mais antiga de Londres. É exatamente nesta região que está localizada a antiga loja da TWININGS, inaugurada em 1717. Sim, é só uma portinha, diante da Corte de Justiça. Mas, repare na classe. E atente para o detalhe: o brasão da Família Real. Significa que a casa é fornecedora da corte – não a de Justiça, mas a do Palácio de Buckingham.

Hoje, essa mesma loja, muito tranquila e belíssima, e que ainda mantém a acanhada fachada de 3 metros, espremida entre dois edifícios, exibe prateleiras repletas das mais variadas infusões. A loja também vende xícaras de porcelana e os mais variados apetrechos para o ritual de preparação de um bom chá.

Slogans e Comerciais

There’s more to life with Twinings. (2008)
Try something different. Try Twinings. (2007)
Blended to make every day a little better. (2006)
A tea for every taste. (2004)
A legend in tea drinking. (2001)
There’s more to tea with Twinings. (2000)

Agora alguns comerciais mais recentes da marca:

Dados corporativos

● Origem: Inglaterra
● Fundação: 1706
● Fundador: Thomas Twining
● Sede mundial: Londres, Inglaterra
● Proprietário da marca: ABF (Associated British Foods)
● Capital aberto: Não
● Chairman: Martin Adamson
● Presidente: Stephen Twining
● Faturamento: Não divulgado
● Lucro: Não divulgado
● Presença global: 115 países
● Presença no Brasil: Sim
● Funcionários: 1.200
● Segmento: Bebidas
● Principais produtos: Chás e infusões
● Ícones: A tradicional loja em Londres
● Slogan: There’s more to life with Twinings.
● Website: www.twinings.com

A marca no mundo

Líder mundial no mercado de chás de “especialidades”, há mais de 300 anos a marca vem influenciando hábitos de consumo em mais de 115 países onde distribui suas mais de 200 variedades de chás. Insuperável na arte secular de criar novos “blends”, a TWININGS utiliza ingredientes provenientes de países como China, Himalaia, Ceilão, Índia e Sri Lanka , criando sabores diferenciados com buquês requintados. A fábrica da empresa produz anualmente cinco bilhões de saquinhos de chás para consumo internacional. No Brasil, TWININGS é importado com exclusividade pela Aurora Bebidas e Alimentos Finos.

Você sabia?
● A marca TWININGS é assinada hoje pela Rainha Elisabeth II, que mantém assim o mesmo privilégio da Rainha Vitória, 170 anos antes.
● Não se deve estranhar o hábito de adicionar leite ao chá. O costume remonta há exatos 350 anos, quando as primeiras levas do produto foram trazidas do Oriente. Quem explica é Stephen Twining: “O leite frio começou a ser agregado por uma única razão: temia-se que a quentura do chá trincasse a delicada porcelana chinesa”.

E e ai, gostaram dos chás ? Eu não sou muito adepto de tomar chá, mas reconheço que esse é muito bom mesmo !
Se você gosta de apreciar um belo chá, com certeza vai adorar, espero que tenham gostado do Post, um abraço e até a próxima 0/

Texto: Luis Paulo Carminatti

Fontes: http://www.time.com/time/ ; http://www.businessweek.com/ ;
http://www.brandchannel.com/ ; http://www.forbes.com/


San Pellegrino, Live in Italian !!!

E ai galera como estão? Derretendo com esse calor? Talvez um pouco não é?

Como está um calor de matar, o Post de hoje fala sobre, sobre? ÁGUA!!

ÁGUA?? Isso mesmo, ÁGUA, mas não se trata de qualquer  Água, estamos falando da famosa SAN PELLEGRINO !!

Não conhece? A princesa Sarah Fergusson, os astros Elton John e Madonna, os atores Elizabeth Taylor, Marlon Brando e Robert de Niro e o ex-líder soviético Mikhail Gorbatchov, compõem a galeria de admiradores da marca de água mineral SAN PELLEGRINO, presente nas mesas mais sofisticadas do planeta com suas famosas borbulhas, um complemento indispensável para os melhores vinhos, cervejas e iguarias. Ela é muito mais que uma água mineral. Representa um estado de espírito e de sofisticação dizem os mais chegados na marca.

A história

Como todo bom ícone que se preze, existem muitas versões sobre a origem da SAN PELLEGRINO. A mais divulgada menciona sua associação com um dos grandes gênios da humanidade, LEONARDO DA VINCI, que no século XVI, enquanto subia o rio Adda em busca de inspiração para criar um de seus mais famosos quadros – as “Virgens das Rochas” – o gênio renascentista impressionou-se com uma descoberta: uma fonte de onde brotava uma água cristalina, enriquecida com 14 minerais, situada no vilarejo de Val Brembana, próximo a cidade de Milão, na Itália. O que Da Vinci não sabia é que até chegar àquele local, o fabuloso líquido percorria um sinuoso caminho de 20 quilômetros entre as rochas dos Alpes. Depois dessa viagem a água repousava mansamente em um reservatório a 600 metros de profundidade. Lá ela se mantinha a uma temperatura suave, entre 25 e 26 graus centígrados.

Três séculos mais tarde, Ester Palazzolo construiu um parque termal ao redor dessa fonte natural nos Alpes Italianos, próximo a cidade de Milão, em 1848. O parque termal atraía muitos visitantes em busca das propriedades terapêuticas da água e do clima local. Reis, rainhas e milionários recorriam à região em busca de tratamento para males do sistema respiratório e renal. Os nobres freqüentadores do parque termal trataram de espalhar pelo mundo a fama daquelas águas, que por ser rica em magnésio, cálcio, potássio, converteu-se num santo remédio para os músculos e nervos, ossos e dentes, e equilíbrio eletrolítico entre o sangue e outros fluidos corporais.

O fato é que em termos de registros oficiais a SAN PELLEGRINO passa a existir a partir de 1899, quando passou a ser engarrafada, depois da construção de uma fábrica de engarrafamento no parque termal. O nome Pellegrino significa Pilgrim (peregrino, viajante). No primeiro ano foram vendidas mais de 35.000 garrafas da água mineral. A grande jornada internacional da água S.PELLEGRINO teve também a grande ajuda dos imigrantes italianos que levavam a água para lembrar de sua terra natal, como se fosse um pedaço da Itália. Através dos navios que freqüentavam as costas brasileiras, chega ao Brasil em 1907. A propósito, muito da mística da SAN PELLEGRINO é atribuída ao fato de ser a água oficial dos transatlânticos italianos, que durante décadas singraram os oceanos, fazendo com que milionários do mundo inteiro convivessem em momentos de extrema descontração e felicidade, com uma certa garrafa verde, grande, estrelada, com rótulo denso de informações, e onde se lia S. PELLEGRINO.

A empresa teve um crescimento muito grande entre 1925 e 1957, quando ao comando de Ezio Granelli, teve sua fábrica modernizada, lançou novos produtos e passou a patrocinar equipes esportivas e grandes eventos de culinária, solidificando a sua já estreita relação com consumidores de paladar exigente e líderes de opinião. Em 1970 a empresa passou a se chamar S.PELLEGRINO S.p.A., e, em 1998 foi adquirida pela Nestlé.

O sucesso da SAN PELLEGRINO no maior mercado do mundo, Estados Unidos, é relativamente recente. Quando chegou naquele país, através dos filmes de Hollywood, a liderança do mercado pertencia à francesa PERRIER. No entanto, pela postura atabalhoada e incompetente dos engarrafadores da PERRIER, no suposto episódio de contaminação da água, que os obrigou, para conter a crise, a confessar que vinham mentindo durante décadas quando afirmavam ser aquela água “naturalmente gaseificada”, e ainda recolher numa operação inimaginável milhões de garrafinhas da PERRIER no mundo inteiro, a SAN PELLEGRINO encontrou a oportunidade que faltava para consagrar-se definitivamente, e assumir a liderança do mercado.

Marketing

Para comemorar os 125 anos da mais tradicional grife de jóias, a também italiana Bulgari, o rótulo da garrafa foi totalmente customizado com o template da marca, que inclusive foi utilizado para divulgar a exposição que ganhou em Paris e que ficará em cartaz até janeiro de 2012.

Os melhores restaurantes de São Paulo e do mundo todo já estão vendendo a água com o rótulo comemorativo!

Confira o vídeo de lançamento da garrafa abaixo:

A seguir temos também o comercial mundial da marca:

Dados corporativos

● Origem: Itália

● Lançamento: 1899

● Criador: Ester Palazzolo

● Sede mundial: Bérgamo, Itália

● Proprietário da marca: Nestlé S.A.

● Capital aberto: Não

● Chairman: Peter Brabeck-Letmathe

● Faturamento: Não divulgado

● Lucro: Não divulgado

● Presença global: 115 países

● Presença no Brasil: Sim

● Funcionários: 500

● Segmento: Bebidas não alcoólicas

● Principais produtos: Águas minerais

● Ícones: A garrafa verde

● Slogan: Live in Italian.

● Website: www.sanpellegrino.com

A marca no mundo

Atualmente a tradicional e chique água mineral italiana está presente em mais de 115 países ao redor do mundo. Atualmente são consumidas mais de 1.3 milhões de garrafas da água diariamente no mundo inteiro. Ao longo de um ano são mais de 500 milhões de garrafas vendidas.

Você sabia?

● No ano de 1912, um lote de caixas com garrafas da famosa água foi embarcado no Titanic, do quais foram encontradas algumas, praticamente intactas alguns anos atrás, garrafinha resistente em? haha

E por hoje é só pessoal haha, espero que tenham gostado do Post, e até a próxima, um abraço a todos 0/

Ah, claro, estava esquecendo, comeeentem ;D

Fontes: http://www.sanpellegrino.com/;
http://www.nestle.com.br/site/marcas/s_pellegrino.aspx;
http://mundodasmarcas.blogspot.com;

Texto: Luis Paulo Carminatti
  


Uma Lata e Muita Arte !!!

E ai galera, como estão? Espero que bem, depois de um pequeno tempo (que ironia) estou voltando a postar e vou falar de uma empresa que é ícone em alimentação nos EUA e faz tempo que eu estava afim de escrever sobre ela, a CAMPBELL’S !!

Dificilmente algum supermercado ou vendinha, de leste a oeste, de norte a sul, dos Estados Unidos, não as tenham em suas prateleiras. Sopas nos sabores de tomate, vegetal, galinha ou até mesmo creme de cogumelo. Todas enlatadas num ícone da cultura americana com as cores branca e vermelha, imortalizadas pelo artista Andy Warhol. A marca CAMPBELL’S se tornou uma das mais valiosas do mercado americano e suas sopas as mais famosas e consumidas por milhões de pessoas, vamos descobrir como tudo isso começou a partir de agora.

A história

Tudo começou no ano de 1869, quando o comerciante de frutas Joseph Campbell e o fabricante de latas Abrahan Anderson fundaram a Joseph A. Campbell Preserve Company, com o objetivo de enlatar tomates, vegetais, condimentos, geléias e carnes em pedaços, na cidade de Candem, estado de Nova Jersey. Pouco depois, em 1876, os sócios acabaram dissolvendo a sociedade por divergências e Joseph comprou a parte de Anderson para formar outra sociedade com Arthur Dorrance, constituindo a Joseph Campbell & Company, que passou a se chamar, em 1891, Joseph Campbell Preserve Company, sendo conhecida pelo famoso “Beefsteak Ketchup”, um molho feito com pimenta preta, vinagre, mostarda, canela e cravo, que podia ser encontrado misturado a outros ingredientes como cogumelos, anchovas, lagosta, nozes e feijão de soja.

Porém, foi somente em 1895 que a empresa lançou as famosas sopas de tomate prontas. Dois anos depois introduziu as sopas condensadas nos sabores de tomate, vegetal e galinha. O químico John Dorrance, sobrinho de Arthur, criou em 1899 um novo método para enlatar sopa, retirando a água, o que permitia que o produto custasse um terço mais barato que o dos principais concorrentes, barateando os custos de embalagem, transporte e acondicionamento. O novo produto rapidamente se tornou um grande sucesso, pois além der ser barato, custava cerca de 10 centavos de dólar a lata, era de preparo prático e fácil. As sopas eram vendidas nas tradicionais latas vermelha e branca. O design e a coloração das latas foram sugeridos pelo executivo da empresa, Herberton Williams, pois eram as cores do time de futebol americano da Cornell University, do qual era fã. Em 1902 a empresa já comercializava sopas enlatadas em 21 variedades diferentes, e, dois anos mais tarde, as vendas atingiam 16 milhões de latas.

Em 1905, com as vendas de sopas crescendo rapidamente, a empresa descontinuou a fabricação de outros produtos, concentrando suas forças somente na produção de sopas enlatadas. As sopas atingiram distribuição nacional depois de serem introduzidas no estado da Califórnia em 1911. Em 1918, devido à grande demanda para suprir as tropas americanas na Primeira Guerra Mundial, a empresa lançou as sopas de vegetais com carne, que continha altos níveis de ingredientes nutricionais. Em homenagem ao sucesso das sopas a empresa resolveu adotar a palavra “soup” em seu nome oficial: CAMPBELL SOUP COMPANY (como adoravam uma mudança de nome). Em 1930 a primeira subsidiária estrangeira foi inaugurada no Canadá. A empresa passou a fabricar suas próprias latas em 1936. Na década de 60, a empresa criou sua divisão Foodservice, especificamente voltada para o atendimento e venda para estabelecimentos comerciais.

Na década seguinte a marca introduziu uma grande novidade: uma completa linha de sopas prontas. As novas sopas se tornaram um sucesso imediato e a empresa assistiu ao seu faturamento superar US$ 1 bilhão. No final desta década, em 1979, a empresa americana decidiu que já estava na hora de botar sua colher no mercado brasileiro. Não bastasse a própria história de sucesso ao redor do mundo, a CAMPBELL’S decidiu não correr nenhum risco e se associou a outra potência, a Gessy Lever, para produzir suas sopas. A campanha de lançamento, cujo slogan era “Campbell’s, as pedaçudas”, tinha como estrela a atriz e cantora Lucinha Lins. Tinha tudo para fazer sucesso, certo? Enorme engano, dois anos depois a empresa deixava o Brasil. A culpa: as mulheres brasileiras se sentiriam aquém de suas obrigações domésticas se não servissem à família uma sopa que elas mesmas haviam preparado, e como a sopa da CAMPBELL’S já vinha pronta (bastava adicionar um pouquinho de água), aí estaria a explicação para o insucesso( Há se fosse nos dias de hoje haha).No final dos anos 90 introduziu os novos rótulos vermelhos e brancos, que agora mostravam fotografias de suculentos pratos de sopas. Nesta época, 100 latas de sopas CAMPBELL’S eram compradas por segundo no mundo inteiro. Nos anos seguintes a marca aumentou as opções em sua linha de produtos, especialmente das sopas enlatadas, com o lançamento de novos sabores; introduziu novos produtos mais convenientes para o consumo, como por exemplo, as sopas para fornos microondas; e recentemente, a partir de 2008, iniciou a redução de sódio em seus produtos, incluindo as tradicionais sopas.

As tradicionais sopas enlatadas, principal produto e ícone da marca CAMPBELL’S, são divididas em quarto linhas principais: CLASSIC FAVORITES, composta por mais de 30 tradicionais sabores; HEALTHY & DELICIOUS, disponibilizando 15 sabores; TASTE SENSATIONS, com 20 deliciosos sabores que irão mexer com os sentidos; e HEALTHY KIDS, com 12 deliciosos sabores em divertidas embalagens que as crianças irão adorar.

O ícone

Muito provavelmente a marca CAMPBELL’S não seria o que é hoje sem suas sopas, certo? Em termos. Uma correção: não seria o que é hoje sem sua tradicional lata vermelha e branca, imortalizada nas pinturas de Andy Warhol. O principal ícone da marca passou por poucas mudanças ao longo dos anos. Nos final dos anos 90, precisamente em 1999, alguns sabores já haviam aberto mão da antiga embalagem (elegante e sem fotografia) em prol de uma imagem da sopa, em um prato, prestes a ser servida. Em 2008, a empresa concluiu que esta silhueta estava defasada e contratou três escritórios americanos de pesquisa, que levaram dois anos estudando a reação de consumidores. Cientistas de “neuromarketing”, que analisa o impacto de determinadas cores e formas em nosso cérebro, imbuíram de sensores 40 pessoas e mapearam postura, batimento cardíaco, sudorese e respiração delas diante de uma prateleira de sopas em um supermercado. Concluíram que a icônica embalagem carecia de mudanças. Finalmente no início de 2010 a marca anunciou as mudanças e suas novas embalagens (rótulos): uma fumaça saindo da sopa; a extirpação da colher que mergulhava no prato; e a redução do espaço para o logotipo. Além disso, perdeu as bordas douradas. Mas, por via das dúvidas, a empresa manteve o antigo design em três de suas sopas: tomate, cogumelo e galinha com macarrão.

Uma das obras de Andy Warhol

Campanhas que fizeram história

A marca CAMPBELL’S para milhões de famílias representa não apenas sopas, mas conveniência, qualidade, vanguarda e principalmente sabor. Astros de Hollywood, como o ex-presidente Ronald Reagan e o ator e diretor Orson Welles, foram alguns de seus mais famosos divulgadores. O mesmo aconteceu com o comediante e apresentador Johnny Carson. Isso sem falar em Andy Warhol, o maior expoente da Pop Art, que imortalizou as embalagens vermelhas e brancas das sopas CAMPBELL’S ao retratá-las em seus quadros admirados ao redor do mundo, entre os anos de 1962 a 1968. O primeiro desses famosos quadros retratava 32 latas da tradicional sopa, uma do lado da outra.

Primeira obra de Andy Warhol inspirado nas latas

Porém os divulgadores mais famosos foram simpáticas crianças, que ficaram conhecidas como CAMPBELL KIDS. Elas apareciam em suas propagandas desde 1904 quando o ilustrador Grace Wiederseim desenhou uma série de pôsteres com crianças brincando. As crianças ficaram tão famosas que em 1910 a empresa resolveu dar como brinde bonecas miniaturas delas. O sucesso foi estrondoso.

O famoso slogan e jingle “M’m! M’m! Good!” foi introduzido em 1931. Veja no vídeo logo abaixo.

Os slogans

It’s Amazing What Campbell’s (or soup) Can Do. (2010)

So Many Many Reasons It’s So Mmm Mmm Good. (2008)

Possibilities. (2005)

We Have a Soup for That. (2000)

Never Underestimate the Power of Soup. (1993)

M’M! M’M! Good! (1931)

Nourishing people’s lives everywhere, every day. (corporativo)

A marca no mundo

A marca vende seus produtos em 120 países ao redor do planeta, sendo a maior produtora de sopas do mundo, tendo 60% do mercado americano liderado pelas sopas de galinha, tomate e creme de cogumelo. Cerca de 90% dos americanos compram as sopas CAMPBELL’S todos os anos, consumindo anualmente mais de 2 bilhões de latas. A empresa ainda é dona de marcas tradicionais como a V8 (sucos naturais), Prego (molhos de tomate), Pepperidge Farm (biscoitos e petiscos) e Arnott’s (biscoitos e bolachas). Somente nos Estados Unidos a empresa possui 11 fábricas.

Outro trabalho de Andy Warhol

O valor

Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca CAMPBELL’S está avaliada em US$ 3.241 bilhões, ocupando a posição de número 99 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 299 no ranking da revista FORTUNE 500 (empresas de maior faturamento no mercado americano) de 2010.

Dados corporativos

● Origem: Estados Unidos

● Fundação: 1869

● Fundador: Joseph Campbell e Abrahan Anderson

● Sede mundial: Camden, New Jersey

● Proprietário da marca: Campbell Soup Company

● Capital aberto: Sim (1954)

● Chairman: Harvey Golub

● CEO & Presidente: Douglas Conant

● Faturamento: US$ 7.67 bilhões (2010)

● Lucro: US$ 830 milhões (2010)

● Valor de mercado: US$ 10.7 bilhões (abril/2011)

● Valor da marca: US$ 3.241 bilhões (2010)

● Presença global: 120 países

● Presença no Brasil: Sim

● Funcionários: 18.400

● Segmento: Alimentos

● Principais produtos: Sopas, alimentos enlatados e sucos

● Marcas: Campbell’s, V8, Arnott’s e Pepperidge Farm

● Ícones: As latas de suas sopas

● Slogan: It’s Amazing What Soup Can Do.

● Website: http://www.campbellsoup.com/

Você sabia?

As sopas de tomate, creme de cogumelo e galinha da CAMPBELL’S estão entre os dez itens mais vendidos todas as semanas nos supermercados americanos.

Aos interessados em arte, existe um livro chamado “O Diário de Andy Warhol” que é bem interessante e claro, fala sobre os quadros com as famosas latas.

Bom, por hoje é só (ou muito, basta ver o tamanho do Post haha) provavelmente voltarei a postar com mais freqüência devido a estar de FÉRIAS haha, espero que tenham gostado e fiquem a vontade nos comentários, o espaço é de vocês ;D um abraço a todos e até a próxima!

Fontes: http://www.campbellsoup.com/ ; http://money.cnn.com/magazines/fortune/ ;
http://www.forbes.com/ ; http://www.nytimes.com/ ; http://www.hoovers.com/.

Texto: Luis Paulo Carminatti.
 


Everything Pops with Pringles !!!

E ai galera como estão ? Queria agradecer a todos vocês que nos acompanham dês de Fevereiro e nos proporcionaram esse número de quase 40 mil visitas =O é isso mesmo 40 mil, nunca esperava ter tantas visitas, sinal que vocês tem lido alguma coisa ou outra que escrevemos aqui haha !!

E no Post de hoje falaremos sobre uma batata, não, uma batata não a batata, falaremos de PRINGLES 0/

Uma lata exclusiva, que fazem as batatas se encaixarem com perfeição dentro da embalagem, um formato diferente e um personagem simpático e carismático. Estes são os principais fatores do sucesso mundial da marca PRINGLES. Uma batata única, com uma embalagem exclusiva. Todas as batatas têm o mesmo tamanho, cabem direitinho na boca e são crocantes como nunca se viu. Comer PRINGLES é muito mais divertido que comer qualquer outra batata! Portanto, abra uma lata e aproveite o Post ;D

A história

Nos anos 60, a empresa Procter & Gamble percebeu uma grande insatisfação dos consumidores americanos em relação á batatas fritas. Eram muitas as críticas: elas vinham quebradas e sem uniformidade nos saquinhos. Surgiu, então, a idéia de se fabricar um salgadinho de batata (potato chips) a partir de uma massa temperada, com fatias uniformes, que chegariam intactas ao consumidor por meio de uma embalagem rígida. Foi então que Alexander Liepa, funcionário da Procter & Gamble e morador de um subúrbio da cidade de Cincinnati, havia patenteado o processo de fabricação de uma massa de batata para o exército americano. Era o casamento perfeito para o surgimento do novo produto. Depois de quase dez anos de intensas pesquisas, a famosa batata PRINGLES foi introduzida no mercado americano em outubro de 1968.

O nome do novo produto surgiu quando foi feita uma pesquisa de alguns nomes encontrados na lista telefônica da cidade de Cincinnati que tinham como inicial a letra “P”. O nome Pringle Avenue em Finneytown, um subúrbio da cidade, estava disponível para ser registrado como marca e soava apelativamente para representar o produto. O formato do novo produto era único do tipo parabolóide hiperbólico. Traduzindo: uma batata irregular e côncava, sem nenhuma linha reta em sua superfície. Porém, esse design inovador causava um grande problema: como embalar o produto sem que ele se quebrasse inteiro durante o transporte? Foi então, que Frederic J. Baur, químico orgânico da Universidade de Ohio, que trabalhava como técnico em armazenamento de alimentos da Procter & Gamble, inspirado nas latinhas de alumínio dos refrigerantes, criou um tubo de alumínio revestido com uma folha de papelão na cor vermelha. Nessa embalagem as batatas ficariam bem conservadas e seguras para serem empilhadas durante o armazenamento. Além disso, a revolucionária embalagem mantinha as batatas inteiras, fresquinhas e crocantes, mesmo depois de aberta. Era algo totalmente inédito nas prateleiras dos supermercados, tanto que, no início, a lata de PRINGLES não fez sucesso. As pessoas achavam esquisito que todas as batatas fossem iguais, com tamanho único e embaladas em uma lata que mais parecia uma embalagem para acondicionar bolas de tênis.

A batata era ridicularizada pelos concorrentes em anúncios comerciais e o The Potato Chip Institute International (Instituto Internacional de Batatas Fritas), representante dos produtores tradicionais, quis proibir a comercialização do salgadinho como Potato Chips. Com tanta resistência, o produto originalmente chamado “Pringle’s Newfangled Potato Chips”, teve seu nome alterado quando a marca foi introduzida nacionalmente no mercado americano em 1975, tornando-se um ícone cultural tão forte quanto a tradicional garrafa da Coca-Cola. Muitos sabores e variedades do produto foram introduzidos nas décadas de 70 e 80. Porém, um dos lançamentos de maior impacto para a marca PRINGLES aconteceu em 1996, quando a empresa introduziu no mercado a Fat Free Pringles (uma batata sem gordura) nos sabores Original, Sour Cream and Onion (creme de cebola) e Barbecue (churrasco). Ainda nesta década o produto foi introduzido em muitos países da Europa como Suécia (1990), Reino Unido (1991), Alemanha (1996), Áustria (1996), Portugal (1998), Grécia (1998), Noruega (1998), França (1999), Espanha (1999), Itália (1999), Dinamarca (1999), Finlândia (1999), Holanda (2000) e Suíça (2000). Nesta época a marca já estava presente em quase 80 países ao redor do mundo. Apesar dos produtos da marca estar no mercado brasileiro desde o início da década de 90, foi somente em 2002 que as batatas começaram a serem fabricadas e distribuídas oficialmente no país

Em 2007, a marca inovou ao introduzir no mercado a PRINGLES STIX, palitos cozidos de trigo em quatros deliciosos sabores: Crunchy Wheat, Vanilla, Honey Butter e Pizza. O novo produto foi lançado nacionalmente, e até em outros países, no ano seguinte. Em 2010, sempre seguindo sua história de inovação, a marca lançou no mercado mais uma grande novidade: PRINGLES MULTI GRAINS, uma linha que além da massa da batata leva em sua formulação vários tipos de grãos, como por exemplo, o trigo. Em abril de 2011, a Procter & Gamble anunciou a venda de sua famosa marca de batata para a empresa Diamonds Foods pelo valor de US$ 2.35 bilhões. Recentemente, um dado provou a popularidade da marca: PRINGLES é um dos itens mais comuns nos pacotes que as famílias americanas dos soldados servindo no Iraque costumam mandar para que eles possam matar a saudade dos Estados Unidos.

Variedades e embalagens

As batatas PRINGLES podem ser encontradas em latas com 230g, 200g, 190g, 170g, 163g, 80g, 70g, 50g, 40g e 23g nas versões:

● PRINGLES REGULAR (normal)

● PRINGLES REDUCED-FAT (com gordura reduzida)

● PRINGLES LIGHT ou DELIGHT (versão com 25% menos gorduras que a versão tradicional)

● PRINGLES PRINTS (versão igual a original, mas com questões e brincadeiras impressas nas batatas com tinta comestível, lançada em 2004)

● PRINGLES SELECT GOURMET (uma linha introduzida em 2006 com cinco sabores diferenciados vendida em saquinhos e produzida com batata, arroz, milho e batata doce, disponível em sabores como parmesão com alho, tomate desidratado e canela)

● PRINGLES MINIS (uma linha com batatas menores, vendidas em pequenos saquinhos e composta por 4 sabores com 14% menos calorias e 20% menos gordura que a versão regular)

● PRINGLES DIPPERS & DIPS (uma linha com batatas curvadas para serem mergulhadas em potinhos de molhos de diferentes sabores)

● PRINGLES Xtreme (uma nova linha de batatas mais apimentadas lançada em 2009 que possui diferentes graus de ardência, disponível em sabores como Exploding Cheese & Chilli, Fiery Wasabi, Smokin’ Ribs e Flamin’ Chilli Sauce.

● PRINGLES RICE INFUSIONS (uma nova linha com 9 sabores lançada em 2009, que ao invés de utilizar massa de batata usa grãos de arroz em sua formulação, se tornando assim mais saudável e com menos gordura)

As batatas da linha regular podem ser encontradas em mais de 80 variedades de sabores, tendo como principais:

● Original (lata vermelha) – sabor original

● Loaded Baked Potato (lata marrom) – sabor queijo com bacon

● Sour Cream & Onion (lata verde) – sabor creme e cebola

● Jalapeño (lata verde-escura) – sabor pimenta verde suave

● Chili Cheese (lata marrom-clara) – sabor queijo com chili

● Pizza (lata branca) – sabor pizza, originalmente chamada Pizza-Licious

● Barbecue (lata roxa) – sabor churrasco

● Bacon Ranch (lata marrom-escura) – sabor bacon

● Ranch (lata verde clara) – sabor queijo com cebola

● Spicy Cajun (lata preta) – versão apimentada

● Cheddar Cheese (lata laranja) – sabor queijo cheddar, originalmente chamada Cheezums

● Salt & Vinegar (lata azul-clara) – sabor vinagre e sal

● Hot & Spicy (lata preta) – versão apimentada com páprica, cebola e tomate

● Papikra (lata laranja) – sabor páprica

Além disso, em alguns países as batatas estão disponíveis em sabores prá lá de esquisitos. Recentemente na China, a marca lançou a linha frutos do mar, composta por três sabores nada convencionais: camarão, caranguejo e alga marinha. No Brasil as versões mais comuns são: original, light, páprica, creme e cebola, queijo e cebola, bacon, churrasco, Spicy Guacamole, além da edição especial especificamente desenvolvida para o país: Queijo Especial com Tempero Gourmet.

A evolução visual

Ao longo dos anos o logotipo da marca sofreu pequenas alterações, quase imperceptíveis aos olhos do consumidor. Porém, em 2002, o simpático Mr. PRINGLES, que até então era conhecido como Julius Pringles, ganhou um visual novo, mais moderno e atual. Reparem que o rejuvenescimento da marca foi bastante acentuado. Recentemente ocorreu uma nova modernização quando o personagem perdeu o fundo vermelho e ganhou ainda mais destaque. Além da mudança discreta na tipologia da letra, duas pequenas mudanças são quase imperceptíveis aos mais desatentos: um novo penteado de cabelo e o pingo da letra “i”, que ganhou o formato da tradicional batata.

Em relação às embalagens as mudanças foram gradativas e sutis que praticamente passam desapercebidas. A embalagem atual é muito semelhante a original, mas com um ar moderno e sem perder a vivacidade no decorrer das mudanças. Conforme informação contida na embalagem padrão, uma porção contém aproximadamente 28 gramas, o que corresponde a 14 unidades. Como a embalagem tem 200 gramas, chegamos a um número aproximado de 100 batatas por lata.

O criador da embalagem da batata frita PRINGLES, o engenheiro americano Fredric Baur, morreu dia 4 de maio de 2008, aos 89 anos de idade, vítima do mal de Alzheimer. Ele inventou a famosa embalagem quando trabalhava no centro de pesquisa da empresa, em 1966, dando entrada com o pedido de patente para a técnica de empilhar as batatas fritas numa embalagem em forma de tubo, feita de papel cartão e folhas de alumínio. Ele tinha tanto orgulho de sua invenção que, manifestou o desejo de, ao morrer, ser sepultado dentro de um dos tubos que consagraram a marca. Foi cremado e suas cinzas colocadas numa embalagem de PRINGLES, versão original, que foi enterrada no cemitério da cidade de Cincinnati, estado de Ohio.

Os slogans

Everything Pops with Pringles. (1968)

Once you pop, the fun don’t stop.

Once you pop, you can’t stop.

Curta o efeito Pringles. (Brasil)

Dados corporativos

● Origem: Estados Unidos

● Lançamento: 1968

● Criador: Alexander Liepa

● Sede mundial: San Francisco, Califórnia

● Proprietário da marca: Diamond Foods, Inc.

● Capital aberto: Não

● CEO & Presidente: Michael J. Mendes

● Faturamento: US$ 1.8 bilhões (estimado)

● Lucro: Não divulgado

● Presença global: 140 países

● Presença no Brasil: Sim

● Maiores mercados: Estados Unidos e Reino Unido

● Funcionários: 1.800 (Diamond Foods)

● Segmento: Alimentos (snacks)

● Principais produtos: Batatas fritas

● Principais concorrentes: Ruffles e Frito-Lay Stax

● Ícones: A embalagem de lata

● Mascote: Mr. Pringles

● Slogan: Everything Pops with Pringles.

● Website: www.pringles.com

A marca no mundo

Presente em aproximadamente 140 países, PRINGLES é a segunda marca de batata-frita mais vendida nos Estados Unidos, com um faturamento próximo a US$ 1.8 bilhões ao ano. O produto se destaca por várias características exclusivas tais como: formato uniforme, textura crocante, sabor inigualável e a moderna e asséptica embalagem.

Você sabia?

● Na América do Norte as batatas não são comercializadas como Potato Chips, mas como Potato Crisps. Isso ocorre porque o produto é feito de massa de batata e não de batatas frescas cortadas.

● O galã Brad Pitt apareceu em um anúncio de PRINGLES em 1982.

● O primeiro Fã-Clube PRINGLES foi fundado em 1985 nos Estados Unidos.

E acho que por enquanto é só haha
Espero que tenham gostado do Post e quem não conhecia tenha passado a conhecer, e quem já conhecia, tenha ficado com mais vontade ainda haha

Dúvidas, criticas, elogios, comentem por favor. Um abraço e até a próxima 0/

Fontes: http://www.forbes.com/ ;
http://www.mundodasmarcas.blogspot.com;
http://money.cnn.com;
http://www.pringles.com/

Texto: Luis Paulo Carminatti.
 


La référence, Le Creuset !!!

Dizem que você conquista uma pessoa pelo estômago. Deve ser por isso que há 80 anos a LE CREUSET vem fazendo sucesso no mundo todo com suas panelas de ferro fundido e esmaltado e seus utensílios de cozinha fabricados sob um rígido controle de qualidade. Com uma história ligada às tradições francesas, a marca construiu uma imagem associada à cultura da alta gastronomia internacional.

A história

A LE CREUSET foi fundada em 1925 por dois artesões belgas: Arnaud Desaegher (especialista em ferro fundido) e Octave Aubecq (especialista em esmaltação). Eles começaram uma pequena produção de panelas esmaltadas de ferro fundido, em Fresnoy Le Grande, pequeno vilarejo do norte da França. Em 1930, a LE CREUSET começou a desenvolver uma gama variada de produtos: panelas, travessas e utensílios para cozinha. Nesta época, a empresa conseguiu atingir um excelente resultado com o ferro fundido e o esmalte, chegando a produtos de alta qualidade. A empresa também iniciou a divulgação no rádio e na mídia impressa da qualidade de cozinhar em panelas de ferro fundido e todos os benefícios provenientes deste modelo de cozimento. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, todos os esforços da LE CREUSET foram concentrados em aumentar a gama de produtos de ferro fundido. Começou nesta fase, a variação de cores no acabamento esmaltado, que acabou transformando-se em um forte diferencial para a empresa.

Em 1952, a empresa iniciou a busca por novos mercados na Europa e América do Norte. Inaugurou suas exportações nesse período para outros mercados europeus, sendo que 50% de sua produção começou a ser destinada a um mercado extremamente forte: os Estados Unidos. No período entre 1955 a 1957, viu-se o lançamento de novos produtos e novas cores que se tornaram verdadeiros sucessos. Em 1958 surgiu a logomarca LE CREUSET e o início de uma identidade visual da empresa, sendo que em 1962, foi lançada a primeira panela de fondue. Mudanças na linha de produção ocorreram em 1966 com a substituição das máquinas que eram operadas manualmente por máquinas semi-automáticas. Nesta etapa, o processo que era praticamente artesanal ganhou tecnologia.

Em 1970, foi apresentada uma nova identidade visual e alguns novos moldes para a linha de panelas de ferro. O ano de 1973 foi marcado por grande avanço, com o design da linha tradicional sofrendo uma grande evolução e a assinatura do designer Enzo Mari. No mesmo ano, a produção atingiu 6.000 toneladas por ano. Nos dez anos seguintes, o mundo importou a idéia e o conceito de que a gastronomia francesa era uma das melhores e mais sofisticadas, projetando ainda mais a marca LE CREUSET no mercado internacional. Em 1985, a LE CREUSET foi classificada entre as 30 marcas francesas mais famosas do mundo. Nesta década, a marca lançou grandes novidades como o modelo “marmita”; os modelos modelo multifunção (molheira e frigideira); os produtos finos de cerâmica “stoneware”; e a tecnologia Vitrobase, revestimento de vidro sobre esmalte, proporcionando maior resistência à esmaltação das peças de ferro.

Uma nova direção assumiu o controle da empresa em 1988, comandada pelo sul-africano Paul van Zuydam. No mesmo ano, Jean Louis Barrault criou uma linha inovadora de produtos. Em 1991, a empresa adquiriu a americana Hallen International Inc, fabricante de acessórios para vinho e bar através da marca Screwpull; iniciou-se então a abertura do mercado japonês, que inspirou a criação da primeira panela Wok. O ano de 1993 foi marcado pela ampliação da linha de saca-rolhas Screwpull. No ano seguinte foi inaugurada a subsidiária da Alemanha, somando-se o lançamento de novas cores para a linha de ferro e cerâmica. Além disso, a marca lançou a nova linha Pueblo e as chaleiras esmaltadas feitas em aço.

As espátulas e colheres de silicone chegaram ao mercado em 1997. No ano seguinte, ocorreu a abertura da subsidiária em Hong Kong, com a LE CREUSET continuando a diversificar seus produtos através da criação de novos utensílios domésticos e de novas cerâmicas. Novas subsidiárias foram inauguradas em 1999: Suíça, África do Sul, Brasil e Espanha. A partir de 2000, a modernização do parque industrial levou a empresa atingir a incrível marca de produção de 35 toneladas/dia com uma média de 10.000 peças diariamente. Em 2004, ocorreu o lançamento linha triVita, com suas panelas em aço inox 18/10 com tripla camada uniforme.

Em 2005, a LE CREUSET comemorou seu aniversário de 80 anos expandindo sua linha de produtos e lançando no mercado literário o livro “Le Creuset Le Livre de Cuisine”. Entre os novos produtos, destacaram-se a linha têxtil e “Clever Friends” de utensílios, além da coleção de miniaturas de cerâmica “stoneware” que tiveram grande aceitação e sucesso. Além das tradicionais panelas redondas de ferro fundido e esmaltado, a LE CREUSET possui ainda uma linha de produtos extremamente abrangente: grelhas, frigideiras, panelas ovais, conjuntos para fondue, molheiras, réchaud e travessas para diversos usos, todas produzidas na França, em Fresnoy Le Grand.

A empresa trabalha também com utensílios e acessórios para cozinha, como espátulas, colheres, batedores e formas de silicone, produzidas nos Estados Unidos, abrangendo ainda, a conceituada linha de chaleiras fabricadas em aço esmaltado e a ampla linha de cerâmica “stoneware”, ambas produzidas na Tailândia e seguindo o mesmo rigoroso controle de qualidade LE CREUSET.

Tradição e qualidade

Em relação aos produtos de ferro fundido esmaltado, cabe destacar, que estes apresentam a mesma espessura nas laterais, no fundo e na tampa, o que garante um cozimento uniforme. São peças únicas, que não apresentam ponto de solda, recebendo esmaltação na parte exterior e interior. O lado exterior dos produtos é vitrificado depois de esmaltado, o que garante uma proteção maior ao esmalte. As tampas das panelas possuem pegadores que resistem a altas temperaturas, podendo assim ir ao forno. A perfeita distribuição de calor e cocção prolongada enaltece o sabor e o aroma dos alimentos. A excelente transmissão e retenção de calor do ferro fundido garantem um bom cozimento, sem que o alimento perca seus líquidos e propriedades nutritivas, com o esmalte vitrificado facilitando a limpeza fácil das peças posteriormente. Os produtos LE CREUSET apresentam uma grande versatilidade de uso, pois sua beleza e design permitem que seja levado direto do fogão a mesa. A LE CREUSET dá ao consumidor a garantia de uma vida para defeitos de fabricação, porém se o usuário seguir alguns cuidados solicitados pelo fabricante, certamente terá em mãos um produto que passará para outras gerações. Todos os produtos da marca têm um forte apelo visual, sendo que o desenvolvimento de produtos com design sofisticado e cores atraentes é uma das filosofias da empresa. A marca possui atualmente 19 cores em sua linha de produção normal.

Um exemplo que revela bem o que significa a marca para os franceses. Em alguns lugares perpetuou-se uma curiosa tradição. Quando há um casamento na família, geralmente a noiva recebe de presente da mãe ou da sogra, uma panela LE CREUSET usada, com o intuito de trazer sorte ao casamento. Aqui no Brasil, uma história sobre a marca francesa ficou famosa: durante um incêndio em uma fazenda no interior de São Paulo, todos os utensílios domésticos derreteram, inclusive fogão e geladeira, as únicas peças que não derreteram foram as panelas e grelhas.

Dados corporativos

● Origem: França

● Fundação: 1925

● Fundador: Arnaud Desaegher e Octave Aubecq

● Sede mundial: Fresnoy Le Grand, França

● Proprietário da marca: Le Creuset Ltd.

● Capital aberto: Não

● Chairman & CEO: Paul van Zuydam

● Faturamento: Não divulgado

● Lucro: Não divulgado

● Presença global: 60 países

● Presença no Brasil: Sim

● Funcionários: 1.000

● Segmento: Utensílios para cozinha

● Principais produtos: Panelas de ferro, chaleiras e utensílios

● Ícones: A ampla variedade de cores de suas panelas

● Slogan: La référence depuis 1925.

● Website:www.lecreuset.com

A marca no mundo

Atualmente a LE CREUSET, líder mundial no seu segmento e que virou sinônimo de tradição na alta gastronomia francesa, está presente em todos os continentes e cerca de 60 países do mundo, contando atualmente com 14 filiais próprias: Estados Unidos; Japão; Brasil; Escandinávia; Itália; Inglaterra; Espanha; Suíça; China; África do Sul; Alemanha; Canadá; Coréia do Sul e Índia

Você sabia?

● Tendo os produtos da marca um valor agregado elevado, sua comercialização fica restrita a pontos de venda que atinjam um público com alto poder aquisitivo. Na sua maioria são lojas sofisticadas de presentes e artigos para cozinha.

É isso ai galera, espero que tenham gostado do Post e possam ter conhecido um pouco mais sobre a “Rainha das Panelas” haha, até a próxima, uma braço 0/

Luis Paulo Carminatti.
   


The America’s Favorite Ketchup – Heinz !!!

E ai galera tudo certo com vocês ?Pra quem gosta de frio ta uma beleza né ?

Hoje vamos conhecer um pouco mais sobre uma marca mundialmente famosa pelo seu Ketchup, acho que a maioria de vocês já tiveram a oportunidade de provar o famoso Ketchup da HEINZ não é ?

A marca HEINZ foi a principal responsável por tornar o ketchup um verdadeiro símbolo da cultura americana, tão importante quanto Coca-Cola, Zippo e Levi’s. Para consumi-lo existem até regras, como, por exemplo, deixar o frasco sempre de cabeça para baixo. E tanto status foi adquirido através de sua fantástica linha de comunicação ao longo dos anos, que posicionou o produto no mercado com o conceito “Não dá para comer nada sem ele” (“You Can’t Eat Without It”). Resultado: HEINZ é sinônimo de ketchup nos Estados Unidos, na Ásia e na Europa, consumido em hambúrgueres, cachorros-quentes, pizzas e batatas fritas ou, como gostava o Presidente Nixon, em cima de queijo Cottage ou ainda, como no Japão, em cima de arroz.

A história

Conforme contavam seus vizinhos, o alemão Henry John Heinz já nasceu vendedor. Aos 12 anos de idade vendia para esses mesmos vizinhos a produção de vegetais e conservas que sua mãe preparava, com os produtos colhidos da horta do quintal da casa, especialmente o tal de “tomate macetado”. Além disso, se dedicava ao cultivo de suas próprias sementes e a manutenção das plantações. Em 1869, ele, então com 25 anos, e Clarence Noble fundaram a empresa alimentícia Heinz & Noble na cidade de Pittsburgh, estado americano da Pensilvânia, para vender conservas de repolho preparadas pela mãe de Heinz, acondicionadas em potes de vidros transparentes que possibilitava constatar a excepcional e irresistível aparência do conteúdo, uma grande inovação na época, já que os outros produtores utilizavam vidros verdes. Os produtos eram entregues em carroças nos estabelecimentos da cidade e arredores. Em 1870, eles já fabricavam mostarda. Pouco tempo depois novos produtos como picles, vinagres e molhos de aipo foram acrescentados ao portfólio da empresa. O picles fazia tanto sucesso que o fundador da empresa ganhou o apelido de “O Rei do Picles”.

Em 1875 a empresa foi à falência devido ao excesso de produção, obrigando Henry, com a ajuda de seu irmão John e seu primo Frederick, a começar tudo de novo. A grande salvação aconteceria em 1876, quando ele acreditou ser possível vender ketchup em larga escala. Começou a fazer experiência com o melhor tomate, ao qual acrescentou vinagre, sal, especiarias e açúcar, até descobrir a combinação ideal. Depois, embalou o molho de tomate, de uma coloração vermelho-forte, em uma garrafa octogonal de vidro transparente para mostrar que os ingredientes do produto não eram adulterados. Surgia assim o famoso KETCHUP HEINZ que foi adicionado à linha de condimentos, sendo introduzido no mercado com o slogan “Blessed relief for mother and other women in the household!”. As mulheres americanas rapidamente se deixaram convencer pela comodidade do molho já preparado. Do outro lado do Atlântico, os produtos HEINZ foram importados (ao Reino Unido) pela tradicional casa Fortnum e Mason em 1886.

Nos anos seguintes outros produtos foram lançados como os molhos de pimenta verde e vermelha, azeitonas e cebolas em conserva. Os picles cortados em tiras foram apresentados em forma de conserva na Chicago World’s Fair, em 1893 tornando-se um grande sucesso. Para chamar a atenção do público foram distribuídos pequenos broches em forma de picles verdes, que se tornaram ícone da marca HEINZ. Nesta época outros produtos foram adicionados como a manteiga de maçã (apple butter), o molho de pimenta (pepper sauce) e a carne moída enlatada. Graças ao crescimento da empresa, que já contava com uma imensa fábrica na cidade de Allengheny, Henry John Heinz havia se tornado milionário e era uma das celebridades de seu país.

A primeira fábrica aberta na Inglaterra começou a operar em 1905. Pouco depois, em 1907, a empresa já vendia mais de 12 milhões de vidros de ketchup em vários países como Austrália, África do Sul, Japão, Nova Zelândia e Reino Unido. No ano seguinte a marca se instalou no Canadá, em 1908, na região de Leamingtom, Ontário, conhecida como a “Capital do tomate no Canadá”. Nesta época a empresa fabricava mais de 12 milhões de vidros de ketchup, que era exportado para muitos países ao redor do mundo. Talvez um dos fatores mais importantes na forma de fazer negócios da empresa era manter sempre uma política de proteção social para seus funcionários, com a construção de refeitórios, jardins, auditórios e bibliotecas. No ano de 1935 estabeleceu sua subsidiária na Austrália, e no ano seguinte iniciou o plantio e cultivo de suas próprias sementes híbridas de tomate. Os novos produtos lançados no mercado na década foram comidas para bebês e as sopas prontas para o preparo. Não restavam mais dúvidas de que a HEINZ era a maior empresa processadora de alimentos do mundo. Durante a Segunda Guerra Mundial a marca ficou famosa por seus slogans irônicos como “Feijões para os bombardeiros” (Beans to bombers) e “Pickles para caçar aviões” (Pickles to pursuit planes). Em 1946, o neto do fundador da empresa, Jack Heinz, assumiu o comando dos negócios e inaugurou, logo após o término da guerra, bases de operação e fábricas na Holanda (1957), Venezuela (1960), Japão (1962) e Itália (1963).

A diversidade de produtos foi crescendo, especialmente depois da compra de outras empresas e marcas, como, por exemplo, a Starkist, tradicional produtora americana de atum enlatado, em 1963; e a Ore-Ida, produtora de batata-frita congelada, em 1965. Depois de quatro décadas de gerenciamento familiar em 1966 o controle da empresa passou para as mãos de R. Burt Gookin, que foi escolhido e nomeado CEO, e ficou conhecido como o “Arquiteto Moderno da Heinz”. No ano de 1972 a empresa ultrapassou a marca de US$ 1 bilhão em vendas, expandindo-se logo depois, em 1979, para a África, China, Leste Europeu e ilhas do Pacífico. Foi nesta década que o investimento em publicidade e propaganda ganhou ainda mais importância. Um exemplo disso foi uma campanha criada para o ketchup, seu principal produto, que visava aumentar a popularidade do molho e atingir aos novos jovens menos endinheirados. Uma das peças mais lembradas foi “Anticipation”, um comercial que utilizava a canção de mesmo nome interpretada por Carly Simon.

A diversidade de produtos da marca cresceu tanto, que já na década de 80 compreendia quase todas as categorias de produtos alimentícios industrializados. Apesar de possuir uma extensa linha de produtos, a HEINZ ficou conhecida pelo seu famoso ketchup, tornando-se sinônimo do molho avermelhado. Em 2002, a empresa vendeu a marca Starkist e as divisões de comidas para bebês e ração animal para a Del Monte Foods, para focar-se nos segmentos de enlatados, molhos e comidas congeladas. Também em 2002, depois de anos e frustradas tentativas, importando o ketchup mais famoso do mundo, a empresa resolveu finalmente fincar bandeira no Brasil. Em mais de 130 anos de história a HEINZ literalmente conseguiu enfiar 25 tomates numa garrafa transparente e vender o produto como o melhor companheiro do americano, ao lado da Coca-Cola, do hambúrguer e das batatas fritas. Em 2011, no Brasil, a empresa anunciou a compra de 80% da companhia brasileira Coniexpress S.A. Indústrias Alimentícias, proprietária da marca de condimentos Quero.

Embalagens inovadoras

A marca HEINZ é conhecida mundialmente não somente pelo seu tradicional ketchup, mas também pelas inovadoras embalagens introduzidas ao longo dos anos e que ditaram tendências do setor. Desde o tradicional pote de vidro, lançado em 1876, passando pelo primeiro sache em 1968, pela garrafa plástica em 1983, pelo pote com tampa invertida em 2002, até a revolucionária Dip & Squeeze™, na qual o consumidor escolhe entre duas maneiras de abri-la e utilizá-la.

Em 2009, depois de 60 anos a HEINZ mudou o tradicional rótulo de seu ketchup. O novo visual conservou a identidade da marca e, depois de 110 anos, o tradicional picles, um dos ícones da marca, foi finalmente aposentado e substituído por um tomate, mais de acordo com o produto. Além disso, aproveitou para introduzir o novo slogan do produto “Grown, Not Made”. Um concurso divertido com um prêmio delicioso

A clássica marca promove pelo quinto ano consecutivo o “Creativity Contest”, um concurso com escolas americanas em que as crianças têm a chance de criar desenhos que serão estampados nos mais de 19.5 milhões de saches do produto ao longo do ano. Os felizardos vencedores ainda ganham um prêmio de US$ 1 mil e as escolas outros US$ 1 mil em material escolar relacionado a arte (tinta, massinha, pincéis, entre outros itens), além de US$ 1 mil em suprimento de ketchup.

A campanha 57 Varieties

O famoso slogan “57 varieties” (57 variedades) foi criado pelo mesmo H. J. Heinz, que se inspirou em um anúncio de um edifício de Nova York, durante uma viagem de trem a cidade em 1892, que anunciava “21 estilos de sapatos” para uma importante casa de calçados. A idéia o fascinou e em 1896 adotou o slogan com uma “pequena” modificação, escolhendo o místico número 57, pois os números 5 e 7 eram especiais para ele e sua mulher, apesar da empresa possuir 60 variedades de produtos na época. O grande acerto dele foi oferecer uma grande variedade de produtos às donas de casas americanas para preparar refeições diárias. Afinal, as sopas, a linha de legumes, as comidas para bebês, os picles, a mostrada e o tradicional ketchup, eram produtos bons e saudáveis pelo seu valor nutricional, mas sobre tudo facilitavam a pesada tarefa diária de cozinhar. As publicidades sempre faziam referência às 57 variedades, presentes em frases como “How many of 57 do you know?” (Quantas das 57 você conhece?). O resultado foi uma das campanhas de maior sucesso na história da publicidade americana. Até hoje a frase está gravada em algumas embalagens dos produtos.

Campanhas que fizeram história

Baseando-se no posicionamento e conceito do HEINZ KETCHUP, a agência Leo Burnett de Londres, criou este clássico comercial em 2003. Intitulado de “Ice Station”, o roteiro é muito semelhante a filmes de mistério. Uma equipe de resgate aéreo vai até uma estação de pesquisa no Ártico verificar o porquê das pessoas estarem quase morrendo. Seria intoxicação? Um vírus? Seres alienígenas? Não. Elas estavam apenas famintas. Mas a dispensa estava bem abastecida de alimentos. O mistério é revelado no final do comercial, quando um frasco de ketchup HEINZ é encontrado totalmente vazio. O comercial é encerrado com o slogan “You Can’t Eat Without It”. Vejam o vídeo aqui ;D é bem legal !!

Os Slogans

Beanz Meanz Heinz. (Introduzido em 1967 para o produto Heinz Baked Beanz)

You can’t eat without it. (2003, Inglaterra)

A good meal out deserves a great ketchup. Insist on Heinz. (Estados Unidos)

Any food tastes supreme with Heinz Salad Cream. (Heinz Salad Cream)

America’s Favorite Ketchup.

Grown, Not Made. (2009)

Você sabia?

● Em toda sua história a HEINZ teve apenas seis CEOs, incluindo o atual William Johnson.

● Em 2001, a empresa pagou cerca de US$ 57 milhões pelos direitos do nome do estádio HEINZ FIELD da tradicional equipe de futebol americano do Pittsburgh Steelers.

● Para o ketchup sair mais rápido e facilmente do tradicional pote, basta segurar com firmeza sob o número 57 do adesivo localizado no gargalo da embalagem

Dados corporativos

● Origem: Estados Unidos

● Fundação: 1869

● Fundador: Henry John Heinz

● Sede mundial: Pittsburgh, Pensilvânia

● Proprietário da marca: H.J. Heinz Company

● Capital aberto: Sim (1946)

● Chairman & CEO: William Johnson

● Faturamento: US$ 10.5 bilhões (2010)

● Lucro: US$ 912 milhões (2010)

● Valor de mercado: US$ 15.8 bilhões (abril/2011)

● Valor da marca: US$ 7.534 bilhões (2010)

● Presença global: 200 países

● Presença no Brasil: Sim

● Maiores mercados: Estados Unidos, Canadá e Inglaterra

● Funcionários: 34.000

● Segmento: Alimentos

● Principais produtos: Mostarda, ketchup, molho de tomate, feijão enlatado e sopas

● Marcas: Heinz, Ore-Ida, Smart Ones, Bagel Bites, Lea & Perrins e Weight Watchers

● Ícones: O ketchup

● Slogan: Good Food Every Day.

● Website: http://www.heinz.com/

E por hoje é só galera !! ( só ? olha o tamanho do texto né ¬¬ )

Espero que tenham gostado desse Post e expressem isso nos comentários ( sim eu to fazendo pressão pra vocês comentarem haha ) um abraço a todos e até a próxima 0/

Fontes: http://www.mundodasmarcas.blogspot.com ; http://www.newsweek.com/ ;
http://www.hoovers.com/ ; http://www.heinz.com/

Luis Paulo Carminatti.
 


Os Hippies Ben & Jerry’s !!!

Sorvetes com nomes divertidos como Cherry Garcia, Berry N’ice, Karamel Sutra, Chocolate Therapy, Chunky Monkey e Fossil Fuel. Sabores diferentes e deliciosos. Embalagens coloridas e exóticas. Uma imagem descontraída e hippie. Essa é a marca de sorvetes BEN & JERRY’S, que com seu espírito inovador de “divertir-se fazendo delícias geladas e ajudando o próximo”, sabe como nenhuma outra empresa ser responsável socialmente com suas ações beneficentes, e claro, ganhar muito dinheiro !!

Vamos falar hoje sobre a empresa líder de vendas no seguimento nos EUA, nada de Haggen Danz, quem manda é BEN & JERRY’S 0/

Um sorvete excelente, sem dúvidas o melhor que já provei dos sorvetes industriais, com um sabor extremamente original que é muito, muito melhor que os concorrentes.

A história

Tudo começou quando os hippies Ben Cohen e Jerry Greenfield, amigos de infância, e fanáticos por sorvetes, resolveram desenvolver sua própria linha de produto por não estarem satisfeitos com nenhum sorvete disponível no mercado americano suficientemente gostoso para satisfazer seus refinados paladares. Depois de Ben ser despedido de vários trabalhos temporários e Jerry falhar pela segunda vez na admissão da Faculdade de Medicina, os dois amigos então gastaram US$ 5 em um curso de fabricação de sorvetes por correspondência, oferecido pela universidade Penn State. Com o que aprenderam e mais US$ 12 mil, sendo US$ 4 mil conseguidos por empréstimo, inauguraram a primeira sorveteria no dia 5 de maio de 1978 na esquina das ruas St. Paul e College no centro da cidade de Burlington, estado americano de Vermont, dentro de um posto de gasolina reformado com o nome de Ben & Jerry’s Homemade Ice Cream Parlor.

Os sorvetes, inicialmente vendidos em 12 sabores diferentes, eram feitos com o melhor leite proveniente de produtores locais e ingredientes naturais especialmente selecionados; e rapidamente se tornaram famosos na comunidade local. Como Ben não tinha paladar, confiava naquilo que é conhecido como “sentido da boca”. E assim, grandes pedaços de chocolate, fruta e frutos secos se transformam na principal característica dos sorvetes. Começava então a nascer uma marca que iria revolucionar o mercado americano nesta categoria. Suas tradicionais ações de marketing começaram muito cedo, quando, por exemplo, no verão deste mesmo ano, organizou o primeiro festival de filmes gratuitos, que eram projetados na parede externa da sorveteria. Em comemoração ao primeiro aniversário da empresa, os proprietários, em outra grande ação de marketing, introduzem no dia 5 de maio o famoso Free Cone Day, um dia inteiro de sorvete grátis para todos os consumidores. O que era uma simples comemoração se transformou em uma tradição da marca BEN & JERRY’S que atualmente, em sua 32º edição, distribui mais de 1 milhão de sorvetes gratuitamente.

Em 1980 a empresa lançou novos sabores (menta com tradicionais pedacinhos de bolachas Oreo, baunilha e baunilha com chocolate) e começou a embalar seus sorvetes em pequenos potes. A razão? O produto começou a ser distribuído em pequenas mercearias, lojas de conveniência e restaurantes da região. A distribuição era feita em uma velha perua Volkswagen pelos próprios donos da empresa. O sucesso levou a inauguração de uma loja, no sistema de franquia, na Route 7 em Shelbourne, também no estado de Vermont. Dois anos depois, em 1982, a sorveteria mudou de endereço, já que o posto de gasolina onde estava instalada iria ser demolido para a construção de um estacionamento. Foi neste mesmo ano que a marca lançou seu sorvete de chocolate que tanto sucesso iria fazer. Em 1983 a primeira loja fora do estado foi inaugurada na cidade de Portland no Maine. Nesta época os potes de sorvetes BEN & JERRY’S começaram a ser distribuídos na cidade de Boston através de sorveterias independentes.

A nova fábrica da empresa foi inaugurada em 1985 e começou a oferecer visitação aos consumidores interessados em conhecer todo o processo de produção dos deliciosos e exclusivos sorvetes da marca no ano seguinte. As primeiras lojas internacionais da rede foram inauguradas em 1988 na cidade de Montreal no Canadá e em Israel. Ao final deste ano já eram mais de 80 sorveterias BEN & JERRY’S espalhadas por 18 estados americanos. Na década de 90, a rede iniciou um forte processo de expansão internacional com inauguração de lojas na Rússia (1992) e a distribuição de seus produtos na Inglaterra (1994), França (1995), Japão (1998) e Peru (1999).

No ano 2000 a empresa foi vendida por US$ 348 milhões para a Unilever, que se comprometeu a manter o estilo e todos os projetos sociais lançados e engajados pela BEN & JERRY’S. Nos anos seguintes a marca iniciou o lançamento de novos produtos em suas sorveterias como milkshakes, sundaes, smoothies e bolos gelados, criando assim novas opções aos consumidores. Além disso, a cada ano são desenvolvidos novos e exclusivos sabores, alguns deles comercializados somente em determinados mercados onde a marca está presente. Foi desta maneira que a BEN & JERRY’S se transformou em uma potência nacional, e posteriormente internacional, ao vender sabores não convencionais a preços altos e fazendo uma boa dose de filantropia.

A embalagem

Desde o seu lançamento em 1980 os tradicionais potes dos sorvetes BEN & JERRY’S evoluíram, tornado-se um verdadeiro ícone da marca. Em 1998 a embalagem foi totalmente remodelada, ganhando um visual moderno. Para comemorar este novo visual foram introduzidos cinco novos sabores. Em novembro deste mesmo ano a marca introduziu embalagens feitas com papelão 90% biodegradável e reciclável, batizadas de “Eco-Pint”. Em 2001 as embalagens ecológicas foram adotadas para todos os produtos da marca. Essas embalagens, além de utilizarem tintas à base de água para impressão de seus rótulos, não utilizam PVC em seus lacres.

A fábrica

A fábrica da BEN & JERRY’S, localizada nas verdes montanhas de Worcester Range, a poucos quilômetros da pequena cidade de Waterbury, estado de Vermont, é uma das principais atrações turísticas da região. Aberta a visitação pública guiada, é possível conhecer todo o processo de produção dos deliciosos sorvetes. O tour começa em um teatro onde um filme de sete minutos conta a história da marca e o sucesso da BEN & JERRY’S junto aos empregados, consumidores e comunidade. Logo depois é apresentado todo processo de fabricação do sorvete e em seguida, é a vez do FlavoRoom (quarto dos sabores) onde são distribuídas amostras grátis dos mais variados sabores da marca. A fábrica conta ainda com uma loja temática onde se pode comprar cerca de 30 sabores de sorvetes e muitas lembranças da BEN & JERRY’S. Além de um ambiente fantástico, uma das principais atrações da fábrica é o cemitério de sabores onde lápides estão colocadas em um bem cuidado gramado mostrando os sabores que não são mais fabricados pela marca. A visitação da fábrica custa US$ 3.00 para adultos, US$ 2 para aposentados e crianças não pagam.

Um exemplo social

Quem disse que uma empresa de sorvete não pode ser socialmente responsável? A marca BEN & JERRY’S se tornou uma das primeiras empresas a divulgar o conceito de responsabilidade social e incorporá-lo de maneira sistemática em suas práticas corporativas. Apesar de seu espetacular crescimento, os amigos Ben e Jerry, não esqueceram seus valores e estabeleceram para sua empresa, a seguinte máxima: O negócio tem que ter a responsabilidade de devolver a comunidade, parte do que a comunidade está lhe dando! E tudo começou em 1985, quando foi criada a BEN & JERRY’S FOUNDATION, uma fundação com o objetivo de apoiar projetos dirigidos à comunidade. Ficou estabelecido que 7.5% do lucro líquido da empresa seria destinado a fundação. Surgia assim uma empresa politicamente correta e comprometida com o respeito ao meio-ambiente. Antes disso, poucas empresas falavam sobre responsabilidade social. O compromisso de defender causas desafiantes e o recurso a ingredientes éticos é tão importante como os sorvetes deliciosos com nomes divertidos. Outras ações sociais marcaram a história da BEN & JERRY’S como em 2001 quando desafiou os estudantes das universidades americanas a doar sangue em troca de sorvetes grátis. Em 2010 a empresa doou aproximadamente US$ 1.8 milhões para causas sociais.

Adicionalmente as doações em dinheiro a marca cede anualmente de forma gratuita significante quantidade de produtos para instituições e comunidades em vários estados americanos.
Mais de metade da composição de um potinho de sorvete da BEN & JERRY’S é constituída por leite e nata. Por isso, a empresa se preocupa com a proveniência destes ingredientes e se orgulha de poder tratar pelo nome suas vacas e os seus criadores, através do programa de sustentabilidade batizado de “Caring Dairy”.

A Vaca Móvel 

O primeiro Cowmobile, uma van adaptada e pintada com pele de vaca para distribuir sorvetes de graça, surgiu no ano de 1986. Em uma ação inédita de “marketing drive”, o veículo era inicialmente dirigido pelos próprios fundadores da empresa, Ben e Jerry. Quatro meses depois o veículo pegaria fogo próximo a cidade de Cleveland. Ninguém se machucou no acidente. O episódio não desanimou a dupla, que no ano seguinte introduziu um segundo veículo, chamado “Cow II”, que viajou pelos Estados Unidos distribuindo os deliciosos sorvetes gratuitamente. Em 19 de outubro do ano passado, o veículo foi para Nova York, durante o chamado Crash da Bolsa de Valores para distribuir sorvetes gratuitamente, dando uma demonstração de solidariedade da empresa com o momento difícil e dramático pelo qual passava a economia do país.

A evolução visual

O logotipo da BEN & JERRY’S evolui muito ao longo dos anos. O original era bastante diferente e, já nos anos 80, sofreu a primeira alteração. Esses dois primeiros logotipos possuíam símbolos que remetiam a produção artesanal dos sorvetes da marca.

Porém, como os logotipos ovais não eram tão práticos foi criado, nos anos 90, o tradicional logotipo na horizontal com o símbolo de um sorvete de casquinha no lado direito, que acabou sendo adotado como imagem pouco tempo depois. O logotipo atual é apenas uma evolução, sendo constituído pelo nome da marca dentro de um retângulo preto curvado.

Falando em visual, vamos dar uma olhada em alguns comerciais, que por sinal são muito legais, exibidos nos EUA e no Canadá:

A marca no mundo

A Ben & Jerry’s tem hoje mais de 600 sorveterias espalhadas pelo mundo, distribuindo seus sorvetes em mais de 35 países. Somente nos Estados Unidos detêm 36% do mercado de sorvetes premium, sendo a 2º maior marca mundial em seu segmento, com faturamento superior a US$ 500 milhões. Aproximadamente 2/3 de suas vendas são feitas dentro dos Estados Unidos. Os maiores mercados da marca fora da América do Norte são Reino Unido, Alemanha e países nórdicos. A BEN & JERRY’S tem por norma comprar o leite de pequenas empresas familiares ao invés de grandes multinacionais. O objetivo é ajudar a gerar dinheiro para manter essas micro-empresas. A marca possui uma loja dentro de quase todos os transatlânticos da Royal Caribbean International.

Você sabia?

● Os sabores mais vendidos e populares da marca são: Cherry Garcia, Chocolate Chip Cookie Dough, Chocolate Fudge Brownie, Chunky Monkey, Half Baked, Phish Food e New York Super Fudge Chunk. Atualmente a marca conta com mais de 50 sabores de sorvetes.

● No site da empresa tem um curioso cemitério dos sabores (Flavor Graveyard), onde é possível conhecer as dezenas de sorvetes, e seus excêntricos sabores, que a BEN & JERRY’S lançou e depois descontinuou. Para cada sabor, é explicado por que o produto não vingou. Eles já lançaram até um sabor chamado Amazônia Crocante, feito com castanhas do Pará, que teve o mesmo fim melancólico de tantos os outros.

Dados corporativos

● Origem: Estados Unidos

● Fundação: 5 de maio de 1978

● Fundador: Ben Cohen e Jerry Greenfield

● Sede mundial: South Burlington, Vermont

● Proprietário da marca: Unilever N.V.

● Capital aberto: Não (subsidiária)

● Chairman: Michael Treschow (Unilever)

● CEO: Jostein Solheim

● Faturamento: US$ 500 milhões (estimado)

● Lucro: Não divulgado

● Fábricas: 7

● Lojas: + 600

● Presença global: 35 países

● Presença no Brasil: apenas em algumas lojas

● Maiores mercados: Estados Unidos, Reino Unido e Canadá

● Funcionários: 2.000

● Segmento: Sorveterias

● Principais produtos: Sorvetes de diversos sabores

● Ícones: Os nomes espirituosos de seus sorvetes e suas embalagens

● Slogan: Different Ice Cream Make a Difference.

● Website: www.benjerry.com

Espero que tenham tido paciência para ler o texto todo haha, era muita coisa legal gente, eu precisava por tudo 0/
Gostaram ? Então comentem ;D e lembre-se, o seu comentário pode fazer a diferença hahaha, até a próxima, um abraço !!

Luis Paulo Carminatti.

Fontes: www.benjerry.com e http://www.mundodasmarcas.blogspot.com