Arquivo da tag: alquimia

Arak não é de araque !!!

E ai galera como estão? Espero que com o fígado preparado haha, pois hoje vamos falar de uma bebida que não é de “araque” não mas é Arak haha, depois do trocadilho infame vamos seguir com o Post, o Arak é um destilado árabe de uvas com infusão em anis. A bebida possui teor alcoólico de 45,9%, mas a maravilha mesmo está na sua alquimia.

Antes de dizer pra vocês como foi beber o Arak, sim eu bebi haha, vamos dar uma olhada na história da bebida, afinal, temos que conhecer o que bebemos!!

O que é o Arak?

Arak ou Araq é uma bebida alcoólica destilada (~45,9%-63% vol. Alc.). É uma bebida clara, incolor, não adoçada, com sabor de anis, também classificada como aperitivo. É a bebida tradicional da Palestina, Israel, Líbano, Jordânia, Iraque e da Síria, e é muito semelhante ao Ouzo grego, à Zivania cipriota e ao Raki turco.

Deve ser bebido diluído em água ou servido puro com gelo (on the rocks), quando adquire aspecto leitoso, é conhecido como “leite de camelo”.

O termo Arak vem do árabe ﻋﺮﻕ (′araq), que significa “suor”, e sua pronúncia varia de acordo com as diversas variantes do árabe. O Arak não deve ser confundido com outra bebida alcoólica de nome semelhante, Arrack (conhecido em Bali também como Arak). Outro termo semelhante é aragh (em armênio, արաղ), que na Armênia, Irã, Azerbaijão e Geórgia é usado para se referir à Vodka.

Como é feito?

O processo começa com os “vinhedos”, e uvas de qualidade são a chave para fazer um bom Arak. As uvas devem ser bem maduras. Em vez de serem irrigadas, as parreiras são deixadas ao cuidado do clima mediterrânico, fazer uso da água natural da chuva é considerado um dom do produtor. As uvas, que são colhidas no final de setembro e outubro, são trituradas e o suco (em árabe El romeli) é colocado em barris e fermentado por três semanas. Ocasionalmente toda a mistura é agitada a liberar o CO2.

Destiladores utilizados para a fabricação do nosso novo amigo de todas horas o Arak

O produto terminado passa por uma segunda destilação. O álcool recolhido na primeira destilação é destilado de novo, mas desta vez é feita a infusão com o Anis. A proporção de álcool para Anis pode variar e é um dos fatores mais importantes na qualidade do produto final. Outra destilação ocorre após isso, geralmente na temperatura mais baixa possível.

Para um Arak qualidade, a bebida quando pronta é envelhecida em ânforas de barro para “amaciar” o Arak e torna-lo  mais adequado para o consumo. O processo de envelhecimento dura cerca de 12 meses em El Massaya, no Líbano que possui o Arak com mais capacidade de envelhecimento.

Inúmeras variedades de Arak são populares em todos os países da bacia do Mediterrâneo, na Palestina, Jordânia, Líbano e Israel e Síria é destilado de suco de uva fermentado, às vezes, o açúcar é adicionado e é considerado pelos habitantes muito superior a semelhantes licores doces ou fortificados de outros países. Outras bebidas similares são o Zibib do Egito, uma bebida camponesa feita da mesma forma, o Ouzo na Grécia, Mastika na República da Macedônia e da Bulgária e Rakı na Turquia; eles são feitos de uma variedade de produtos como grãos, melaço, ameixas, figos e batatas. Um variante iraniano chamado Aragh-e Sagi (persa: عرق سگی, que significa literalmente suor de cão) é produzido sem Anis, e tem um teor de álcool ainda mais alto do que outras variedades que pode chegar a 78%, alguém arrisca uma dose?

Grandes marcas de Arak

Síria

Batta (ﺍﻟﺒﻄﹽﺔ)

Dinan (ﺩﻧﺎﻥ)

Al-Hayat (ﺍﻟﺤﻴﺎﺓ)

Al Mimas (ﺍﻟﻤﻴﻤﺎﺱ)

Rayan (ﺍﻟﺮﻳﹽﺎﻥ)

Al Jaraa (الجرة)

Jododona (جدودنا)

Brdone (بردوني)

Al Reef (الريف)

Jordânia

Haddad (حداد)

Zumout (زعمط)

Israel

Elite Ha’arak (עלית הערק)

Arak Askalon (ארק אשקלון)

Aluf Ha’arak (אלוף הערק)

Líbano

As Samir (السمير)

Arak el Rif (ﻋﺮﻕ ﺍﻟﺮﻳﻒ)

Batroun Mountains (جبال البترون)

Brun (ﺑﺮﺍﻥ)

Al-Laytany (ﺍﻟﻠﻴﻄﺎﻧﻲ)

El Massaya (ﻣﺴﺎﻳﺎ)

Fakra (ﻓﻘﺮﺍ)

Ghantous and Abi Raad (ﻏﻨﻄﻮﺱ ﻭ ﺃﺑﻲ ﺭﻋﺪ)

Kefraya (كفرَيا)

Ksarak (ﻛﺴﺎﺭﺍﻙ)

Layali Loubnan (ﻟﻴﺎﻟﻲ ﻟﺒﻨﺎﻥ)

Nakd (ﻧﻜﺪ)

Riachi (ﺭﻳﺎﺷﻲ)

Tazka (ﺗﺰﻛﺎ)

Touma (ﺗﻮﻣﺎ)

Wardy (ورده)

Palestina

Ramallah Golden Arak (عرق رام الله الذهبي)

Sabat Arak (عرق صابات)

Como beber?

Arak é geralmente misturado em água, aproximadamente 1/3 Arak e 2/3 de água, em seguida, a mistura é transferida para um pequeno copo cheio de gelo. Agora entendam o porque da alquimia que eu disse lá no começo, a diluição faz com que a bebida se torne um liquido meio leitoso e brilhante, porque o Anetol, o óleo essencial de anis, é solúvel em álcool, mas não em água. Por conta dessas características, a bebida também pode ser chamada de leite de leões ou leite de camelo. O Arak é comumente servido com Mezza, que pode incluir dezenas de pequenos pratos tradicionais. A maioria dos consumidores prefere consumir Arak desta forma, em vez de sozinhos. É também bem harmonizado com churrasco e molho de alho.

ATENÇÃO!

Se o gelo é adicionado após a bebida no copo resulta na formação de uma película, como se fosse uma nata que se torna desagradável na superfície da bebida, porque o gelo faz com que os óleos do Arak se solidifiquem.

Não é preciso muitas doses pra se sentir pisando em nuvens. Mas cuidado! Há quem o prefira puro, porém não é muito aconselhável por alguns fabricantes, que estampam na garrafa a informação:

“NÃO INGERIR PURO”

Ou seja, o negócio é neurótico. Recomendo a vocês a experimentarem, confesso que fiquei com meio receio de tomar mas, é incrível! Alguém por aqui já provou?

E ai, gostaram do Post? Se sim comentem, compartilhem, divirtam-se, se não gostarem podem fazer isso também, afinal não custa nada haha, obrigado a todos que nos acompanham e um abraço 0/

Texto: Luis Paulo Carminatti